D. José Cordeiro destacou testemunhos «de fé, de esperança e de caridade» no contexto da pandemia covid-19

Bragança, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo de Bragança-Miranda afirmou hoje que “a noite da humanidade” provocada pelo Covid-19 “é iluminada pela luz de Jesus Cristo”, na homilia da Vigília Pascal onde começou por questionar se “não será um contrassenso cantar o Exultet”.

“A noite da humanidade provocada pelo covid-19 é iluminada pela luz de Jesus Cristo na Páscoa da Sua ressurreição que acontece a cada instante no dinamismo da morte que dá a vida”, disse D. José Cordeiro na catedral diocesana.

O bispo de Bragança-Miranda começou a sua homilia a questionar se “não será um contrassenso estar a cantar o ‘Exultet’ (Exulte de alegria) nestes tempos duríssimos de pandemia” e aos doentes, mortos e perdas causadas pelo coronavírus destacou os “anjos da vida nos hospitais, nas casas, nos laboratórios, na sociedade”.

“Quantos testemunhos de fé, de esperança e de caridade!”, exclamou.

Na homilia da vigília pascal, D. José Cordeiro explicou que a celebração do “inteiro mistério pascal de Cristo” constitui o “momento privilegiado do culto cristão”, não só no seu desenvolvimento anual, mas quotidiano e semanal.

“O mistério pascal de Cristo é o princípio basilar de toda a reforma litúrgica”, realçou o bispo que é também o presidente da Comissão Episcopal da Liturgia e Espiritualidade da Igreja Católica em Portugal.

Esta noite, no terceiro dia do Tríduo Pascal, o bispo de Bragança-Miranda explicou também que a ‘teologia dos três dias’ comemora o “mistério da cruz gloriosa de Cristo, o seu repouso no sepulcro e a sua Ressurreição, qual realização do desígnio salvífico”.

“O Tríduo pascal não constitui uma preparação da solenidade da Páscoa, mas é, verdadeiramente, a celebração da morte e da Ressurreição de Cristo, da qual resplandece a novidade de vida em Cristo que brota da sua morte redentora”, desenvolveu D. José Cordeiro.

CB/PR

Partilhar:
Share