Sacerdote explica que «prioridades» são continuar as opções do «Projeto Missionário Global»

Foto Missionários Espiritanos

Barcelos, 23 jul 2021 (Ecclesia) – O padre Pedro Fernandes foi reeleito superior provincial dos Missionários do Espírito Santo (Espiritanos) em Portugal, no Conselho Provincial Alargado (CPA) que está a decorrer no Centro Espírito Santo e Missão (CESM) – Seminário da Silva, em Barcelos.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o sacerdote explicou que as prioridades são “continuar” as opções assumidas no ‘Projeto Missionário Global’ que “passa muito por um investimento na evangelização, e em particular da juventude”.

“A nossa animação missionária investe muito por ai, tentar trabalhar com as pessoas, com os grupos missionários e os movimentos que estão ligados a nós numa maior sensibilização para a Igreja em saída, a Igreja preocupada com as periferias, com as minorias, preocupada com os mais pobres”, acrescentou o padre Pedro Fernandes.

Segundo o superior provincial dos Espiritanos em Portugal existem também duas “grandes linhas” a nível mais interno que são um “maior investimento na inclusão dos leigos nos projetos missionários” e na vida da província, e a “diversificação do tecido humano do grupo dos Espiritanos professos”, ou seja, uma maior internacionalização, “acolhendo confrades de outras nacionalidades e culturas, que enriquece no sentido quantitativo e qualitativo”.

Numa análise ao último triénio, o padre Pedro Fernandes explicou que apostaram “muito nestas linhas”, no trabalho em equipa, “cada vez menos focado em indivíduos e cada vez mais focados em grupos”, num grande esforço de sinodalidade, um triénio que tentou “criar sinergias, comunhão e investimento na missão”.

Numa nota publicada hoje online, os Espiritanos informam que a votação do superior provincial aconteceu esta quinta-feira e depois foi confirmada pelo superior geral da congregação, o padre John Fogarty, em diálogo com o seu conselho.

Foto Espiritanos

Os membros do Conselho Provincial Alargado agradeceram ao padre Pedro Fernandes, que celebrou 25 anos de ordenação sacerdotal, a sua disponibilidade para exercer um segundo mandato e “aplaudiu o seu ‘sim’”.

O padre Pedro Fernandes nasceu em Lisboa, em 1969, professou no Seminário da Silva, em 1992, e a ordenação presbiteral em Lisboa, em 1996; Estudou em Portugal e em Clamart, na França, e realizou o estágio missionário foi na Guiné-Bissau, esteve em missão também em Moçambique, para onde partiu depois da ordenação sacerdotal até 2009.

Os Espiritanos estão reunidos em Conselho Provincial Alargado, desde domingo, e foram nomeados e aprovados quatro grupos de trabalho: Identidade e Missão ad gentes; Juventude e Formação; Animação Missionária e Paróquias; Finanças e Justiça e Paz.

O padre Tony Neves, coordenador do Gabinete de Justiça e Paz dos Missionários do Espírito Santo, em Roma, também está a participar no CPA e explicou que no conselho geral da congregação têm estado “muito próximos de toda a caminhada ‘Laudato Si’ que o Papa Francisco propôs” a toda a Igreja.

“Uma das propostas que fazemos é que as nossas comunidades sejam Laudato Si desde as coisas simples, de separar lixos e de evitar plásticos, até mais complicadas, como ir progressivamente revendo as energias que se usam, apostar nas energia renováveis, mesmo a nível de carros”, exemplificou em declarações à Agência ECCLESIA.

“A ideia é seguir este espírito Laudato Si e que temos que assumir, é uma questão humana importante, tudo o que tem a ver com alterações climáticas e não só é agenda mundial de grande urgência e não podemos ficar parados”, acrescentou.

O padre Pedro Fernandes adiantou que este tema é um dos pontos que conversaram “bastante” e parece para os Espiritanos são claros “os valores ligados à Laudato Si, à ecologia integral”,.

“Falta caminhar mais na prática, a nível das pequenas coisas, a nível material, mas também humano, um olhar mais inclusivo, mais integrador das diferenças. Também ao nível da proteção dos menores e dos adultos vulneráveis, e a promoção da justiça e do bem de todos”, acrescentou o superior provincial.

O padre Tony Neves destacou também que têm estado a refletido sobre como querem “crescer na justiça” com os empregados, e têm “muitos nas obras e comunidades”, mas também nas relações interpessoais, “respeitar a diferença, as idades, os talentos”.

“Temos que apostar num estilo de vida simples, solidário, fraterno e ecológico, e este é sempre o ponto de partida. É esta mudança de estilo de vida que nos vai levar a este empenhamento, nas nossas comunidades com os confrades, com os colaboradores e todo o povo, nas instituições que dirigimos, seja nos projetos ‘Laudato Si’. As questões ligadas à ecologia integral – amar os pobres e proteger a natureza – são decisivas para a humanidade”, desenvolveu.

Os Missionários do Espírito Santo foram fundados a 27 de maio de 1703, em França, por Poullart des Places, e chegaram a Portugal em 1867.

CB

(Notícia atualizada às 18h05)

Partilhar:
Share