Marianos da Imaculada Conceição procuram valorizar relação com a natureza e comunidade local

Bragança, 12 abr 2021 (Ecclesia) – O superior do Convento de Balsamão, dos Marianos da Imaculada Conceição, disse à Agência ECCLESIA que o espaço, no concelho de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança, se está a reformular, com atenção à espiritualidade, cultura e saúde.

“Nesta requalificação queremos criar um espaço de acolhimento, um espaço termal que possa ajudar na saúde, porque o projeto assenta em três pilares: espiritualidade, cultura e saúde”, precisou o padre Eduardo Novo.

A congregação está a celebrar 350 anos e olha para o futuro “com os pés assentes na terra”, procurando “acolher as pessoas e ajudá-las a desenvolver a sua espiritualidade centrada em Deus”.

A nível cultural, os Marianos da Imaculada Conceição vão continuar a realizar as jornadas culturais, as semanas de espiritualidade, em ligação com a sociedade local.

O padre Eduardo Novo destaca que o projeto de requalificação visa “cuidar da mente, do coração e da alma”, das pessoas, num território onde “a água é o elemento fundamental”.

A relação com a natureza é o pilar essencial neste projeto que tem “três símbolos: luz, água e o silêncio”.

No antigo seminário, os religiosos querem criar novas valências, com espaços multiusos e a “transformação dos produtos existentes na área”.

“Vamos criar uma cervejaria com cerveja artesanal, uma destilaria, uma cozinha tradicional e um espaço de agricultura e pecuária”, precisou o superior do Convento de Balsamão.

O padre Eduardo Novo destaca que a natureza ensina a olhar “com mais profundidade” e a “meter a mão na massa, não apenas na produção, mas também no desenvolvimento dos dons”.

Situado a mais de 500 metros de altitude, o Convento de Balsamão tem “bem patente a simbologia” conjugada entre a natureza e a arte, sublinhou.

Foi na montanha que o venerável frei Casimiro introduziu, em 1754, os Marianos em Portugal; a sua memória está celebrada com uma estátua, junto ao convento, na qual “aponta com a mão para o mundo, o sentido missionário, e para Maria Imaculada”.

“Um homem de globalidade, espiritualidade e austeridade” que veio para Portugal para ajudar “a conhecer Deus” e com “grande sentido de evangelização”, salientou o entrevistado de hoje no Programa ECCLESIA (RTP 2).

LFS/OC

Partilhar:
Share