Celebração acontece desde 1918 e nasceu no contexto da gripe pneumónica

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Viana do Castelo, 27 jun 2022 (Ecclesia) – O bispo de Viana do Castelo presidiu este domingo à Missa da peregrinação diocesana ao Sagrado Coração de Jesus, que se realiza há mais de 100 anos, no Parque das Tílias.

D. João Lavrador desafiou os participantes a “percorrer o itinerário da sinodalidade, na comunhão, na participação e na missão partilhada”.

“Convido-vos a vós diocesanos à esperança e à alegria, ao dinamismo do Amor que nos projeta numa nova ousadia evangelizadora. Não temais. O amor é sempre mais forte do que o erro, a arrogância, a calunia, a dúvida ou o desespero”, indicou, numa homilia enviada à Agência ECCLESIA.

O responsável católico sustentou que a Igreja deve ser “um Povo que caminha com Cristo”.

“Esta caminhada, feita na fé, em experiência de Igreja e nos dinamismos da comunhão, oferece-nos os traços de uma vida humana, mas sobretudo cristã, que se reconhece que o sentido da existência nos desperta para um caminho, muitas vezes duro, mas alimentado na esperança que brota da certeza da presença permanente de Jesus Cristo”, precisou.

O bispo de Viana do Castelo apontou às “sendas da autêntica liberdade”, face a uma cultura “herdeira do racionalismo iluminista”.

Exige-se-nos a lucidez para percorrermos o itinerário que nos conduza à plena liberdade, digna do ser humano e que ofereçamos a resposta existencial aqueles que julgam exercer a liberdade em contexto de egoísmo, de autorreferência, de exploração do outro ou de alienação”.

D. João Lavrador indicou que a missão evangelizadora é “tarefa de todos”, deixando uma mensagem particular aos jovens e famílias.”

Imploro de Nossa Senhora Mãe de Jesus Cristo e Mãe da Igreja, de São Bartolomeu dos Mártires, de S. Teotónio e S. Paulo VI que nos abençoem e nos conduzam pelos caminhos que levam à evangelização do mundo de hoje”, concluiu.

O clero e a população do arciprestado de Viana do Castelo determinaram que a peregrinação se realizasse todos os anos, desde 1918, no domingo seguinte à Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, que a Igreja Católica celebrou, este ano, a 24 de junho.

OC

Partilhar:
Share