Catedral vai ter lotação limitada, devido à pandemia de Covid-19, na celebração marcada para terça-feira

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Viana do Castelo, 21 set 2020 (Ecclesia) – A Diocese de Viana do Castelo apelou hoje ao acompanhamento, através dos meios de comunicação, das exéquias de D. Anacleto Oliveira, bispo diocesano, que vão decorrer esta terça-feira.

“Infelizmente continuamos confinados por causa da Covid-19 e, por isso, sujeitos e obedientes à legislação estatal. Quer isto dizer que, o espaço interior da Sé, com a demarcação exigida por lei, será reduzido”, explica mons. Sebastião Pires Ferreira, administrador da Diocese de Viana do Castelo.

O apelo do responsável, enviado hoje à Agência Ecclesia, começa com uma saudação às comunidades católicas, evocando a figura do “querido pastor, D. Anacleto de Oliveira”.

“Como há um mês, também hoje vos venho convocar, a todos, com uma diferença abismal: em Agosto, o convite era para nos associarmos e congratularmos com o jubileu cinquentenário da sua ordenação presbiteral e dos dez anos do seu pastoreio, denso e fecundo, no meio de nós; hoje, no entanto, estou a convocar-vos para que, espiritualmente o entronizem no vosso coração, participando à distância nas suas exéquias, que terão lugar na sua e nossa Catedral”, escreve monsenhor Sebastião Pires Ferreira.

O espaço no interior da Sé vai estar reservado aos bispos, padres, autoridades, diáconos, acólitos e seminaristas, além do grupo coral e orquestra, além dos familiares de D. Anacleto Oliveira.

O acolhimento dos restos mortais, esta noite, vai ter caráter reservado, sem quaisquer celebrações públicas.

Na terça-feira, a Catedral abre portas às 08h00 para a oração livre dos fiéis que, segundo uma entrada controlada e condicionada ao espaço disponível, até às 11h30, altura em que encerra para desinfeção.

Pelas 15h00, no início da Missa de exéquias, o administrador diocesano pede que os sinos das igrejas paroquiais toquem, “como sinal de convite ao recolhimento”.

Foto: Diocese de Viana do Castelo

“A convocatória que persisto em fazer será, por isso, para que, na hora da Concelebração Eucarística, liguem as redes de comunicação social, com o fim de acompanhar da melhor forma possível as cerimónias fúnebres, que serão transmitidas, em direto, pela Rádio Renascença, pelo Facebook da Diocese e da Viana TV”, acrescenta mons. Sebastião Pires Ferreira.

O responsável dirige-se ainda aos jovens, pedindo que recordem D. Anacleto Oliveira “na sua memória e no seu coração, com o propósito se prepararem para a Jornada Mundial da Juventude”.

Na quarta-feira, os restos mortais de D. Anacleto Oliveira estarão em câmara ardente na Catedral da Diocese de Leiria-Fátima a partir das 10h00; às 15h00 o cardeal D. António Marto preside à Missa Exequial.

“Nesta celebração terão prioridade de participação os sacerdotes e os familiares do defunto, para se garantir as precauções de saúde pública determinadas pelas autoridades. Após a celebração, a sepultura será no cemitério das Cortes, terra natal de D. Anacleto”, informou a Diocese de Leiria-Fátima, através do seu site.

D. Anacleto Oliveira faleceu na última sexta-feira, aos 74 anos de idade, na sequência de um despiste de automóvel, na Autoestrada 2 (A2) perto de Almodôvar, que ocorreu ao fim da manhã; o bispo era o único ocupante da viatura.

Natural da freguesia de Cortes, em Leiria, nasceu a 17 de julho de 1946 e foi ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1970; após a ordenação, estudou Sagrada Escritura em Roma e na Alemanha, onde foi capelão de uma comunidade portuguesa durante 10 anos.

Nomeado bispo para auxiliar de Lisboa em 2005, pelo Papa João Paulo II, a ordenação episcopal de D. Anacleto Oliveira decorreu no Santuário de Fátima no dia 24 de abril desse ano, presidida por D. Serafim Ferreira e Silva, então bispo da Diocese de Leiria-Fátima.

No dia 11 de junho de 2010 D. Anacleto Oliveira foi nomeado por Bento XVI como bispo de Viana do Castelo, o quarto bispo da diocese do Alto Minho, criada pelo Papa Paulo VI em 1977.

Na Conferência Episcopal Portuguesa, o bispo de Viana do Castelo presidia à Comissão Episcopal Liturgia e Espiritualidade e à Comissão de Tradução da Bíblia.

Em agosto, D. Anacleto Oliveira tinha assinalado 10 anos como bispo de Viana do Castelo e 50 de ordenação sacerdotal.

OC

Partilhar:
Share