Bispo falecido a 18 de setembro foi “um autêntico missionário”

Foto Renascença/Inês Rocha, Exéquias D. Anacleto Oliveira,

Viana do Castelo, 19 out 2020 (Ecclesia) – A Igreja diocesana de Viana do Castelo uniu-se, em oração e ação de graças em sufrágio por D. Anacleto Oliveira (falecido a 18 de setembro deste ano), na celebração do Dia Mundial das Missões.

Este domingo, na Sé de Viana do Castelo, monsenhor Sebastião Pires Ferreira, Administrador Diocesano, realçou que D. Anacleto Oliveira foi “um autêntico missionário” – “em primeiro lugar, pela cultura bíblica que tinha” – que “fez de todos os recantos da nossa diocese a sua cátedra”, através da sua capacidade de comunicação multifacetada, o que o torna um “missionário à maneira de D. Frei Bartolomeu dos Mártires”, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Na homilia do Dia Mundial das Missões, o administrador sublinhou que “Deus reconhece e aceita a soberania dos outros reinos”, o que o levou a pedir aos cristãos que “cumpram as legítimas normas de higiene e saúde decretadas”.

Retomando a mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões, o Administrador Diocesano, convidou os cristãos a não se ficarem só por uma demonstração piedosa da sua identidade cristã, exortando-os, assim, “a assumir a responsabilidade própria de um cristão”, ou seja, “a identidade batismal de quem prega com a vida, com o modo como fala, com o modo como se relaciona com os outros, com a disponibilidade para ser enviado”.

Recorde-se que D. Anacleto Oliveira, que era Bispo de Viana do Castelo, faleceu no dia 18 de setembro, vítima de um acidente de viação, quando se preparava para lançar um novo ano pastoral rumo às JMJ 2023 em Lisboa.

LFS

Partilhar:
Share