Bispo emérito de Leiria-Fátima gosta de viajar sozinho e de saídas culturais

Lisboa, 06 ago 2019 (Ecclesia) – D. Serafim Ferreira e Silva, bispo emérito de Leiria-Fátima, aponta a necessidade de férias e tempo livre, “de saídas culturais ou familiares”, para quebrar a monotonia dos dias.

“Sou a favor das férias, das pausas e dos intervalos, conjugando com a reforma gostaria que a reforma não fosse uma pausa total e que o tempo de trabalho tivesse mais folgas.

Eu próprio faço viagens para que a monotonia não prejudique o meu lazer, o meu viver, eu leio, rezo, caminho e abro-me à cultura em geral”, disse em declarações à Agência ECCLESIA.

Olhando as férias “dos outros” e um inevitável destino de praia, o prelado sente que há uma certa “sedução e vaidade, o ter de ser porque toda a gente o faz…”.

“O ser humano é assim um bocadinho de turma…está a atenuar-se essa realidade e isso é bom, porque seja a montanha, praia, floresta, igreja, monumento, tudo isso são peças de um todo… o ambiente de cada um é uma universidade aberta e nós em Portugal temos uma grande universidade de todas as culturas e de todos os tempos”, destaca.

D. Serafim encontra-se de “férias há 13 anos” e aposta em período de saídas nas férias, “uma grande viagem e outras mais pequenas e pontuais”, a última grande viagem foi nas férias da Páscoa onde viajou sozinho até Tóquio.

Tenho um certo fascínio pelo Oriente; gosto muito de viajar só, indo com alguém pode haver atrito ou atrasos, assim paro onde quero, vejo o que quero, organizo-me sem imprevistos… Gostei de ver mas gostei mais de vir, a minha idade acumula o cansaço e a diferença horária tudo me cansou um pouco. O grande museu é a natureza e ao mesmo tempo é o ser humano, eu posso não entender nada de japonês mas a pessoa fala, a natureza fala, é toda esta riqueza”.

Já em 2018 o prelado fez uma grande viagem nas férias da Páscoa e Amesterdão foi o destino depois de ter sabido, através de uma notícia, que muitas igrejas estavam a ser vendidas.

“Quando fui lá a um restaurante dei comigo numa igreja gótica, com altar e estátuas… Porque a lei autorizou a venda, mas não deixou retirar o que lá havia dentro… viajar é fazer um curso ambulante”, refere.

O bispo emérito de Leiria-Fátima gosta também de ocupar o seu tempo livre a “visitar livrarias” e acompanhar o que é editado.

“A caminhada do Homem é sempre um enriquecimento e, na minha perspetiva, do mais além… Estando eu, no meu quarto/escritório, não devo incomodar os outros, mas não vou estar só a ver a televisão, ou com o rosário na mão, ou a ler o breviário ou o livro das horas. Leio sempre dois livros ao mesmo tempo, um de ficção e outro de cultura geral, frequento livrarias e procuro acompanhar as edições que vão saindo, traduções ou originais”, desvenda.

Além de ler, D. Serafim assina um jornal diário e revistas semanais e mensais para ter “as vitaminas em desenvolvimento”.

“Aquele que nos criou não nos fez de 40 anos ou doutores fomos crescendo em idade, estatura, sabedoria e graça ou bom senso”, explica.

Quanto ao próximo destino de férias D. Serafim “não consulta os folhetos de viagens”, sonha e “quando pode, realiza”, sem desvendar a próxima viagem.

A entrevista a D. Serafim Ferreira e Silva pode ser ouvida esta terça-feira, pelas 22h45, no Programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública.

HM/SN

Partilhar:
Share