Colónia de férias vai acolher 100 crianças para brincar ao ar livre, no heliporto ou na Sala Paulo VI durante o mês de julho

Cidade do Vaticano, 29 mai 2020 (Ecclesia) – O Vaticano vai organizar uma colónia de férias, «Verão Criança», para os filhos dos funcionários da Santa Sé, com o objetivo de oferecer a crianças entre os cinco e os 14 anos um tempo lúdico.

“O Papa quer ajudar as mães que trabalham na Santa Sé, e o Governatorato está a organizar um mês de atividades educativas e lúdicas nos Jardins do Vaticano, nos espaços do heliporto e da Sala Paulo VI”, informa o portal de notícias Vatican News.

A colónia de férias, que por motivos de segurança vai admitir 100 crianças, vai ser animado pela comunidade dos Salesianos do Vaticano e vai decorre entre 6 e 31 de julho.

“Um mês de brincadeiras, partidas de ténis, de futebol e de basquetebol, piscina, brinquedos insufláveis, desafios de ping-pong dentro da Sala Paulo VI, mas também visitas guiadas pelos Jardins do Vaticano e nos espaços do heliporto”, estão a ser pensados para a colónia de férias que terá início às 7h30 e término às 18h.

“Por causa da Covid-19, o número será mais limitado se comparado ao projeto inicial, já que poderão se inscrever apenas 100 crianças e adolescentes nas seguintes faixas etárias: dos 5 aos 7 anos, dos 8 aos 10, e dos 11 aos 14”, afirma.

Está a ser preparado um programa “detalhado” para guiar cada dia das crianças e adolescentes, “dividido entre momentos de socialização, brincadeiras, desporto e momentos de oração”.

O salesiano Franco Fontana, capelão da Gendarmaria e dos Museus Vaticanos, explica que o projeto “Verão Crianças” nasceu “para responder às exigências dos pais e mães que trabalham na Santa Sé”.

“Nunca como neste ano, depois de meses em que as famílias foram obrigadas a ficar em casa, os pais terão a exigência de confiar seus filhos a pessoas de confiança que saibam dar esperança, entusiasmo e educar em segurança os seus filhos”, explica.

O responsável pela associação «Todos numa festa», Pasquale Acunzo, parceiro na organização, afirma a importância de redescobrir “a beleza de estar juntos, de brincar em grupo, mesmo com distância de segurança, de partilhar paixões, emoções e sorrisos. Uma experiência onde todos participam e onde os menores poderão aprender com os maiores”.

Será dada atenção especial às medidas de segurança por causa da pandemia do Covid-19.

Os organizadores explicam que estão a trabalhar “para implementar todas as diretrizes do governo italiano”, com o objetivo de “oferecer a garantia de segurança das crianças e da equipe”, através de “dispositivos de segurança, distanciamento, aferição da temperatura, máscaras, álcool-gel, higienização dos ambientes e dos equipamentos, junto à formação dos animadores e à sensibilização das crianças”.

«Felicidade e bem-aventuranças» foi o tema escolhido.

O secretário-geral do Governatorato, D. Fernando Vérgez, sublinha, numa carta, a importância da realização de atividade no Vaticano onde as crianças e adolescentes possam “encontrar uma Igreja que ajuda as famílias, cuida das crianças e ajuda a encontrar o Senhor num tempo favorável”.

LS

Partilhar:
Share