Encontro dominical com os peregrinos informou sobre os trabalhos da cimeira entre 190 líderes da Igreja Católica por causa dos abusos sexuais 

Foto: Lusa

Cidade do Vaticano, 24 fev 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco reafirmou hoje no Vaticano a necessidade de combater a “gravíssima praga” dos abusos de poder sorbe os menores e desafiou a Igreja a ser novamente “credível e confiável” na missão junto das novas gerações.

“Queremos que todas as atividades e lugares da Igreja sejam sempre plenamente seguros para os menores; que se tomem todas as medidas possíveis para que crimes semelhantes não se repitam; que a Igreja volte a ser absolutamente credível e confiável na sua missão de serviço e de educação para os mais pequenos segundo o ensinamento de Jesus”, afirmou o Papa.

Após a oração do ângelus, o Papa disse que quis enfrentar o problema dos abusos sexuais sobre menores por parte de membros do clero “em conjunto” e de “forma corresponsável e colegial” porque estar “difundido em todos os continentes”,

“O problema do abusos sexuais sobre menores por membros do clero suscitou há muito tempo um grave escândalo na Igreja e na opinião pública, seja pelo dramático sofrimento das vítimas, seja pela injustificável desatenção no seu combate e no encobrimento de pessoas responsáveis na Igreja”, lembrou Francisco.

O Papa informou os peregrinos presentes na Praça de São Pedro e quem o seguia pelos media em todo o mundo que o encontro que tinha terminado minutos antes foi uma ocasião para escutar “as vozes da vítimas”, para rezar e pedir perdão “a Deus e às pessoas ofendidas”, para tomar consciência da “responsabilidade” e do “dever de fazer justiça na verdade” e “recusar radicalmente todas as formas de abuso de poder, de consciência e sexual”.

Após a oração do ângelus, o Papa prometeu colaboração com “todas as pessoas” de “todos os países” e “a nível internacional” para combater a “gravíssima praga” da violência e do abuso de poder sobre “milhões de menores”.

O Papa Francisco convocou 190 responsáveis da Igreja Católica, nomeadamente os presidentes das conferências episcopais de todo o mundo, para uma inédita cimeira, sobre a proteção de menores na Igreja, que terminou hoje com a apresentação oito medidas para combater os abusos sexuais na Igreja Católica.

PR

Partilhar:
Share