Francisco manifesta preocupação com novos confrontos entre Arménia e Azerbaijão

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 19 jul 2020 (Ecclesia) – O Papa reforçou hoje no Vaticano o seu apelo em favor de um cessar-fogo global, que permita ajudar as vítimas da pandemia, em particular nos territórios mais pobres.

“Neste momento em que a pandemia não parece abrandar, desejo assegurar a minha proximidade aos que estão a enfrentar a doença e as suas consequências económicas e sociais”, disse Francisco, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação do ângelus.

“O meu pensamento vai em particular para as populações cujos sofrimentos são agravados por situações de conflito”, acrescentou, perante centenas de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

O Papa recordou que, neste mês de julho, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade uma resolução que pede um cessar-fogo global, de forma a facilitar a luta contra a Covid-19.

“Renovo o apelo a um cessar-fogo global e imediato, que permita a paz e a segurança indispensáveis para oferecer a ajuda humanitária necessária”, disse Francisco.

A pandemia provocou a morte de mais de 600 mil pessoas em todo o mundo desde dezembro de 2019, refere hoje o mais recente balanço da agência de notícias France-Presse (AFP); em Portugal, morreram 1684 pessoas e houve 48 390 casos confirmados de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

O Papa mostrou-se ainda preocupado com os confrontos fronteiriços entre as forças da Arménia e do Azerbaijão, que provocaram várias mortes nas últimas semanas.

“Sigo com preocupação o agudizar, nos últimos dias, das tensões armadas na região do Cáucaso”, declarou.

“Asseguro as minhas orações pelas famílias do que perderam a vida, durante os confrontos, e desejo que, com o empenho da comunidade internacional, e através do diálogo e da boa vontade das partes, se possa chegar a uma solução pacífica duradoura, que tenha no coração o bem daquelas amadas populações”, prosseguiu Francisco.

OC

Partilhar:
Share