Francisco agradece iniciativa do Ano da Fé, proclamado por Bento XVI

Cidade do Vaticano, 24 nov 2013 (Ecclesia) – O Papa Francisco evocou hoje no Vaticano o testemunho das comunidades católicas na Terra Santa e pediu paz para a região, em particular na Síria.

“Pretendo alcançar todos os cristãos que vivem na Terra Santa, na Síria e em todo o Oriente, a fim de obter para todos o dom da paz e da concórdia”, declarou, na homilia da missa conclusiva do Ano da Fé, perante os patriarcas e arcebispos maiores das Igrejas Orientais Católicas, presentes na Praça de São Pedro.

Francisco deixou a esses responsáveis palavras de “reconhecimento do Bispo de Roma por estas comunidades que confessaram o nome de Cristo com uma fidelidade exemplar, paga muitas vezes com um caro preço”.

O Papa destacou, por outro lado, a iniciativa do seu predecessor, que convocou um Ano da Fé, iniciado em outubro de 2012, no 50.º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II.

“A solenidade de Cristo Rei do universo, que hoje celebramos como coroamento do ano litúrgico, marca também o encerramento do Ano da Fé, proclamado pelo Papa Bento XVI, para quem neste momento se dirige o nosso pensamento cheio de carinho e gratidão”, disse, numa intervenção sublinhada com as palmas dos presentes.

Segundo Francisco a iniciativa “providencial” do Papa emérito ofereceu a todos os católicos a oportunidade de redescobrir “a beleza daquele caminho de fé que teve início no dia do nosso Batismo”.

“Um caminho que tem como meta final o encontro pleno com Deus e durante o qual o Espírito Santo nos purifica, eleva, santifica para nos fazer entrar na felicidade por que anseia o nosso coração”, acrescentou.

A missa conclusiva do Ano da Fé é marcada pela primeira exposição pública das relíquias de São Pedro, colocadas junto ao altar.

OC

Partilhar:
Share