Francisco pede que responsáveis tenham como marca a proximidade e a sobriedade num encontro que contou com quatro bispos de Portugal

Cidade do Vaticano, 12 set 2019 (Ecclesia) – O Papa recebeu hoje no Vaticano os bispos católicos que foram nomeados nos últimos 12 meses, em todo o mundo, aos quais pediu que evitem a bajulação dos “yes men”.

“Sejam apóstolos da escuta, que sabem ouvir até o que não é agradável. Por favor, não se rodeiem de bajuladores e yes men … os padres “carreiristas” que estão sempre à procura… não, por favor”, declarou, perante os participantes no curso de formação promovido pelas Congregações para os Bispos e para as Igrejas Orientais (Santa Sé).

Numa intervenção divulgada pela sala de imprensa da Santa Sé, Francisco pediu aos bispos que sejam próximos das suas comunidades, com atenção à vida espiritual.

“Mesmo na nossa pobreza, cabe-nos a nós fazer com que ninguém sinta Deus como distante, que ninguém use Deus como pretexto para levantar muros, derrubar pontes e semear ódio”, advertiu.

O Papa sublinhou a necessidade de uma “disponibilidade real”, que coloque os responsáveis católicos em contacto com aquilo que os rodeia.

“Por favor, não deixem que prevaleçam os temores pelos riscos do ministério, retraindo-se e mantendo as distâncias”, exortou.

A intervenção apontou à importância de uma vida marcada pela atenção aos mais pobres e pela sobriedade.

“Levar uma vida simples é testemunhar que Jesus nos basta”, explicou Francisco.

O Papa insistiu na particular atenção que os bispos devem dedicar ao acompanhamento dos sacerdotes, com visitas pastorais regulares.

“Também eles estão expostos às intempéries de um mundo que, mesmo cansado das trevas, não poupa hostilidade à luz. Eles precisam de ser amados, seguidos e encorajados”, observou.

O curso de formação promovido pelas Congregações para os Bispos e para as Igrejas Orientais (Santa Sé) para os bispos ordenados nos últimos 12 meses contou com quatro de Portugal: D. Rui Valério, bispo da Diocese das Forças Armadas e das Forças de Segurança, D. Daniel Henriques e D. Américo Aguiar, bispos auxiliares de Lisboa, e D. Armando Esteves, bispo auxiliar do Porto

OC/PR

Partilhar:
Share