Francisco defende importância da misericórdia para enfrentar lógica do «olho por olho»

Cidade do Vaticano, 15 set 2013 (Ecclesia) – O Papa apelou hoje ao fim do que denominou de “espiral do mal”, destacando a necessidade de dar lugar à “misericórdia” de Deus.

Perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, Vaticano, para a recitação do Angelus, Francisco alertou para a lógica do “olho por olho, dente por dente” que impede o fim da violência.

“O maligno ilude-nos com (a ideia) de que com a nossa justiça humana podemos salvar-nos e salvar o mundo. Na verdade, só com a justiça de Deus se pode salvar”, alertou.

Para o Papa, a misericórdia divina é “a verdadeira força que pode salvar o homem e o mundo do ‘cancro’ que é o pecado, o mal moral, o mal espiritual”.

“Só o amor preenche os vazios, as voragens negativas que o mal abre no coração e na história. Só o amor pode fazer isso, é esta a alegria de Deus”, acrescentou.

Num domingo chuvoso, o Francisco aludiu à beatificação de um padre argentino, José Gabriel Brochero, que percorreu o país numa mula para levar a mensagem do evangelho no século XIX.

O Papa pediu que haja mais padres capazes de “dar a sua vida ao serviço da evangelização, seja de joelhos diante do crucifixo, seja dando testemunho em todos os lugares do amor e da misericórdia de Deus”.

O Papa saudou ainda os participantes na Semana Social dos católicos italianos, que decorreu em Turim, sobre o tema da família.

Falando de improviso, Francisco pediu aos presentes que pensassem numa pessoa com a qual não estivessem bem, rezando por ela e tornando-se “misericordiosos” para a mesma.

OC

Partilhar:
Share