Forças Armadas de Cartum são acusadas de «uso injustificado» de violência sobre manifestantes pacíficos

Ativista sudanês Omar al-Dujir. Foto: Lusa

Cidade do Vaticano, 09 jun 2019 (Ecclesia) – O Papa manifestou hoje a sua preocupação com a atual crise política no Sudão, onde manifestações de protestos estão a ser reprimidas pelas Forças Armadas.

“As notícias que chegam do Sudão, nestes dias, geram dor e preocupação. Rezemos por este povo, para que cessem as violências e se procure o bem comum, no diálogo”, referiu, no final da celebração da solenidade de Pentecostes, que decorreu na Praça de São Pedro.

Na última quinta-feira, o Governo português condenou hoje o “uso injustificado” da violência contra “manifestantes pacíficos” em Cartum, Sudão, apelando para “um consenso negocial” que permita a instituição de uma governação civil do país.

“O Governo português condena veementemente a repressão exercida pelas Forças Armadas sudanesas sobre cidadãos indefesos em Cartum, que levou à perda de dezenas de vidas humanas”, refere o comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Os protestos da população levaram à deposição, em abril, do presidente sudanês Omar al-Bashir, substituído por um Conselho Militar Transitório; as manifestações têm prosseguido, exigindo uma transferência de poder para os civis.

OC

Partilhar:
Share