Memória do desembarque na Normandia deve ajudar a «promover verdadeira fraternidade universal»

Foto: Lusa

Cidade do Vaticano, 06 jun 2019 (Ecclesia) – O Papa associou-se hoje à comemoração do 75.º aniversário do desembarque aliado na Normandia, o chamado ‘Dia D’, pedindo que esta celebração ajude a promover uma “fraternidade espiritual”.

Francisco desejou que a data represente um convite à Europa, aos “cristãos de todas as confissões, fiéis de outras religiões e homens de boa vontade, a promover uma verdadeira fraternidade universal, favorecendo uma cultura do encontro e do diálogo, atenta aos pequenos e aos mais pobres”.

A mensagem foi enviada ao bispo de Bayeux-Liseux, na França, D. Jean-Calude Boulanger, e lida na noite desta quarta-feira pelo prefeito da Congregação para os Bispos, cardeal Marc Oullet, durante a celebração de Ação de Graças (Te Deum) na Abadia Saint-Étienne em Caen, na França.

“Sabemos que o desembarque de 6 de junho de 1944, precisamente na Normandia, foi decisivo no combate à barbárie nazi e que preparou o caminho para o fim desta guerra que feriu profundamente a Europa e o mundo”, refere o texto.

O Papa deixa uma palavra de gratidão a todos os soldados que tiveram a coragem de empenhar-se e dar a vida pela liberdade e a paz.

Confio-os ao amor infinitamente misericordioso do Senhor, bem como milhões de vítimas desta guerra, sem esquecer aqueles que, da parte alemã, combateram em obediência a um regime animado por uma ideologia assassina”.

Francisco apontou ao futuro, desejando que todos aprendam a lição de que a paz se “baseia no respeito por cada pessoa, independentemente da sua história, no respeito pelo direito e pelo bem comum, pela criação” e “pela riqueza moral transmitida pelas gerações passadas”.

OC

Partilhar:
Share