Peregrinos voltaram à Praça de São Pedro para rezar oração dominical com Francisco

Cidade do Vaticano, 24 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa enviou hoje uma mensagem e bênção especial aos católicos da China, no dia em que estes celebram a festa de Maria Auxiliadora, sua padroeira, particularmente venerada no Santuário de Nossa Senhora de Sheshan, perto de Xangai.

“Confiemos à orientação e proteção da nossa Mãe Celeste os pastores e fiéis da Igreja Católica neste grande país, para que sejam forte na fé e sãos na unidade fraterna, testemunhas alegres e promotores de caridade e de esperança, e bons cidadãos”, disse, após a recitação da oração do ‘Regina Caeli’, desde a biblioteca do Palácio Apostólico, com transmissão online.

Em setembro de 2018, Pequim e a Santa Sé assinaram um acordo provisório sobre a nomeação dos bispos católicos, marcando uma nova etapa nas relações bilaterais, mas várias organizações católicas denunciam violações à sua liberdade de culto.

Caríssimos irmãos e irmãs católicas na China, desejo assegurar-vos que a Igreja universal, da qual sois parte integrante, partilha as vossas esperanças e vos sustenta nas provações da vida. Acompanha-vos na oração por uma nova efusão do Espírito, para que em vós possam resplandecer a luz e a beleza do Evangelho, poder de Deus para a salvação de quem acredita”.

Francisco deixou uma mensagem de “grande e sincero afeto”, antes de conceder a sua bênção especial: “Que Nossa Senhora vos guarde sempre”.

A oração do Papa estendeu-se a todos os que, “neste tempo difícil” da pandemia, trabalham “pela paz, o diálogo entre as nações, o serviço aos pobres, a salvaguarda da criação e pela vitória da humanidade sobre qualquer doença do corpo, do coração e da alma”.

Nesta festa de Maria Auxiliador, Francisco deixou ainda uma saudação especial aos Salesianos e Salesianas, agradecendo a “formação espiritual” que recebeu destes religiosos.

Pela primeira vez desde o início de março, a oração dominical do meio-dia contou com a presença de peregrinos na Praça de São Pedro – algumas dezenas, com distanciamento de segurança; o Papa deslocou-se à janela para abençoar os presentes.

Francisco falou ainda da viagem que iria realizar hoje à localidade italiana de Acerra, para denunciar o “drama da contaminação” da chamada ‘Terra dos fogos’.

A visita foi adiada, mas o Papa quis deixar a sua “bênção e encorajamento” a toda a população.

“Eu irei aí, de certeza”, anunciou.

Em muitos países, a Igreja Católica celebra hoje a festa da Ascensão de Jesus, a sua subida para o Céu após a ressurreição.

“A experiência dos Apóstolos é também a nossa. Cristo desaparece aos nossos olhos físicos e abre-se um outro olhar, o olhar da fé, para lá do aparente e do transitório”, referiu o pontífice.

OC

Partilhar:
Share