Milhares de pessoas na festa dos 400 anos da Família Vicentina, na Praça de São Pedro

Cidade do Vaticano, 14 out 2017 (Ecclesia) – O Papa Francisco celebrou hoje na Praça de São Pedro o jubileu dos 400 anos da Família Vicentina, com cerca de 11 mil pessoas, elogiando o carisma de São Vicente de Paulo, na atenção aos mais desfavorecidos.

“Que São Vicente nos ajude a valorizar o ADN eclesial do acolhimento, da disponibilidade, da comunhão”, disse, durante o encontro que começou com momentos musicais e de testemunho.

A audiência realizou-se por ocasião do Ano Jubilar dos 400 anos de fundação da Congregação da Missão (Vicentinos), com o tema ‘Era estrangeiro e acolhestes-me’.

“São Vicente gerou um impulso de caridade que perdura nos séculos. Por isso, hoje, quero encorajar-vos a prosseguir este caminho, nas pegadas do vosso fundador”, declarou Francisco, que apresentou uma reflexão sobre três verbos, “adorar, acolher, ir”.

O discurso sublinhou a importância da oração e de sair de si mesmo.

“Agradeço-vos por estardes em movimento pelas estradas do mundo, como São Vicente vos pediria também hoje. Faço votos de que não pareis: continuai, através da adoração, a atingir o amor de Deus e a difundi-lo ao mundo, contagiando-o com a caridade, a disponibilidade e a concórdia”, desejou Francisco.

O Papa despediu-se dos membros da Família Vicentina concedendo a todos a sua Bênção Apostólica, que estendeu aos pobres que encontrarem.

Portugal esteve representado pelos 7 ramos da Família Vicentina (Congregação da Missão, Filhas da Caridade, Associação internacional de Caridade, Sociedade de São Vicente de Paulo, Associação da Medalha Milagrosa, Colaboradores da Missão Vicentina e Juventude Mariana Vicentina), num total de uma centena de peregrinos.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o provincial dos padres vicentinos em Portugal, padre José Alves, destacou a oportunidade deste evento numa altura em que importa olhar para o futuro da congregação e toda a sua ação pastoral, junto dos pobres, dos mais necessitados e também dos migrantes e refugiados, que estão no centro deste simpósio.

A peregrinação quis também assinalar os 300 anos da presença dos vicentinos em Portugal.

No Vaticano, foi anunciado o lançamento de uma campanha global para ajudar os sem-abrigo, envolvendo toda a Família Vicentina.

OC

Partilhar:
Share