Francisco evocou cardeais e bispos falecidos no último ano, entre eles D. António Francisco dos Santos e D. Manuel Martins

Cidade do Vaticano, 03 nov 2017 (Ecclesia) – O Papa Francisco presidiu hoje no Vaticano à Missa em sufráfio pelos 14 cardeais e 137 bispos falecidos no último ano, na qual convidou os católicos a ter uma “uma atitude de confiança” perante a morte.

“A fé que professamos na ressurreição leva-nos a ser homens de esperança e não de desespero, homens da vida e não da morte, porque nos consola a promessa da vida eterna, radicada na união a Cristo ressuscitado”, disse, na homilia da celebração que decorreu na Basílica de São Pedro.

O Papa começou por referir-se ao pesar pela separação das pessoas, sublinhando que a Liturgia dos últimos dias fala numa dimensão de “esperança”, da “vitória completa sobre a morte por meio da ressurreição”.

“A morte torna definitiva a encruzilhada que já aqui, neste mundo, está diante de nós: o caminho da vida, isto é, com Deus, ou o caminho da morte”, assinalou.

A homilia centrou-se na ressurreição de Jesus como facto determinante na fé cristã, mostrando que “ morte não tem a última palavra”.

“A comunhão com os defuntos não fica apenas ao nível dum desejo, duma imaginação, mas torna-se real”, acrescentou Francisco.

O Papa agradeceu o “serviço” que os falecidos cardeais e bispos prestaram à Igreja e rezou por todos eles.

Em Portugal, a Igreja Católica despediu-se nos últimos 12 meses de D. António Francisco dos Santos, bispo do Porto, e de D. Manuel Martins, bispo emérito de Setúbal.

OC

Partilhar:
Share