Francisco evoca experiência de católicos ucranianos durante o regime soviético

Fotos: Vatican News

Cidade do Vaticano, 11 dez 2019 (Ecclesia) – O Papa criticou hoje no Vaticano a perseguição e discriminação contra cristãos no mundo contemporâneo, falando durante a audiência pública semanal, ao recordar a experiência dos católicos ucranianos durante o regime soviético.

“Quanto foram perseguidas essas pessoas, quanto sofreram pelo Evangelho! Mas não negociaram a fé. É um exemplo. Hoje, no mundo, na Europa, muitos cristãos são perseguidos e dão a vida por causa da sua fé, ou são perseguidos com luvas brancas, ou seja, deixados de lado, marginalizados”, referiu, no auditório Paulo VI, perante milhares de pessoas.

Antes da audiência geral, Francisco tinha saudado, na Basílica de São Pedro, um grupo de peregrinos ucranianos que festeja os 30 anos do fim da clandestinidade, após a “longa opressão do regime soviético”.

“O martírio é o ar da vida de um cristão, de uma comunidade cristã. Haverá sempre mártires entre nós: este é o sinal de que estamos a seguir o caminho de Jesus”, referiu o Papa, durante a sua reflexão semanal.

Já na saudação aos peregrinos do Médio Oriente, o Papa convidou os católicos do Iraque, Líbano e Síria, presentes no Vaticano, a “não ter medo, a manter a fé perante as provas, sendo audazes por Cristo”.

Francisco saudou também os peregrinos de língua portuguesa: “Queridos amigos, não vos esqueçais de que todos os batizados estão chamados a ser evangelizadores. O Espírito Santo tornar-vos-á capazes de viver e testemunhar a vossa fé e iluminará o coração das pessoas que encontrardes”.

“Deixai-vos guiar por Ele, sem medo daquilo que vos peça ou aonde vos mande. Que Nossa Senhora vos acompanhe e proteja a vós todos e aos vossos entes queridos”, acrescentou.

O Papa recordou ainda a celebração da memória litúrgica de Nossa Senhora do Loreto, esta terça-feira, e o início de um Ano Jubilar Lauretano, para a “padroeira dos pilotos e dos que viajam de avião”.

“Desejo que todos aprendam a olhar a vida do alto, da perspetiva do Céu, para ver as coisas com os olhos de Deus, através do prisma do Evangelho”, disse.

A audiência, a duas semanas do Natal, contou com uma pequena atuação do Circo de Moscovo.

OC

Partilhar:
Share