Francisco concedeu audiência pelos 50 anos da Congregação para as Causas dos Santos

Foto: Vatican News

Cidade do Vaticano, 12 dez 2019 (Ecclesia) – O Papa assinalou hoje os 50 anos da Congregação para as Causas dos Santos (Santa Sé) com uma audiência no Vaticano, na qual deixou indicações para garantir seriedade dos processos de canonização.

“Trata-se de uma verificação diária realizada pelo vosso dicastério, que desde a antiguidade é realizada com escrúpulo e precisão nas investigações; com seriedade e competência no estudo de fontes processuais e documentais; com objetividade e rigor no exame e em todas as fases do julgamento sobre o martírio, as virtudes heroicas, a oferta da vida e o milagre”, indicou Francisco, numa intervenção divulgada pela Santa Sé.

O Papa apresentou a santidade como a “luz da Igreja” e considerou que os processos de canonização exigem conclusões com “plena certeza”, num trabalho que implica reflexão, imparcialidade e independência.

A intervenção destacou ainda o papel dos postuladores, pedindo que não se deixem guiar “por visões materiais e interesses económicos”, ou pela busca de sua própria “afirmação pessoal”, dado que está em causa um processo “espiritual”.

“É preciso um milagre, porque é realmente o dedo de Deus. Sem uma clara intervenção do Senhor, não podemos avançar nas causas da canonização”, acrescentou.

A 8 de maio de 1969, São Paulo VI decidiu substituir a Congregação dos Ritos Sagrados por dois dicastérios: a Congregação das Causas dos Santos e a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Neste meio século de atividade, as Causas dos Santos examinaram “um grande número de perfis biográficos e espirituais de homens e mulheres, para apresentá-los como modelos e guias da vida cristã”, indicou Francisco.

“As várias beatificações e canonizações que foram celebradas nas últimas décadas significam que os santos não são seres humanos inacessíveis, mas estão próximos de nós e podem ajudar-nos no caminho da vida”, prosseguiu.

Nestes 50 anos, foram beatificadas 2203 pessoas e proclamados 1479 novos santos.

A audiência contou com a presença do cardeal português D. José Saraiva Martins, antigo prefeito deste organismo da Cúria Romana.

OC

Partilhar:
Share