Foto: Vatican News

Cidade do Vaticano, 21 jan 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco benzeu hoje no Vaticano dois cordeiros brancos na memória litúrgica de Santa Inês (séc. III-IV), seguindo uma tradição centenária.

A lã destes animais será utilizada para a confeção dos pálios, faixa de lã branca com seis cruzes pretas de seda envergada pelos arcebispos metropolitas nas suas igrejas e nas da sua província eclesiástica.

A apresentação dos cordeiros acontece na Capela Urbano VIII: um dos animais é enfeitado com flores brancas, símbolo da virgindade de Santa Inês, e outro com flores vermelhas, símbolo do seu martírio.

Santa Inês, cujo nome latino (Agnes) se associa à palavra em latim para cordeiro (agnus), está enterrada na basílica que lhe é dedicada, na Via Nomentana, em Roma, onde os animais foram abençoados ao início da manhã.

O pálio é uma insígnia litúrgica de ‘honra e jurisdição’ que é imposta pelo Papa na solenidade de São Pedro e São Paulo, a 29 de junho.

O arcebispo metropolita preside a uma província eclesiástica, constituída por diversas dioceses.

Em Portugal há três províncias eclesiásticas: Braga, Lisboa e Évora.

OC

Partilhar:
Share