Francisco defende necessidade de colocar pessoas antes dos projetos, na ação social da Igreja

Cidade do Vaticano, 23 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco presidiu hoje no Vaticano a uma Missa, por ocasião da 21ª assembleia geral da Cáritas Internacional, pedindo atenção à “voz dos últimos” e prioridade às pessoas, na ação social da Igreja Católica.

“É sempre importante ouvir a voz de todos, especialmente dos pequenos e dos últimos. No mundo, quem dispõe de mais meios fala mais, mas entre nós não pode ser assim, porque Deus gosta de revelar-se através dos pequenos e dos últimos”, referiu, na homilia da celebração que decorreu na Basílica de São Pedro.

O pontífice falou numa tenção de “prestar culto” às próprias ações, ficando refém de critérios de eficiência e mundanos, nas organizações católicas de solidariedade, às quais recomendou “humildade, comunhão, renúncia.”

A 21ª assembleia geral da ‘Caritas Internationalis’ decorre até 28 de maio, em Roma, reunindo representantes de 168 organizações nacionais, incluindo Portugal.

Francisco apresentou o Evangelho como “modelo de vida” para todos os participantes, aos quais recomendou que evitem respostas “pré-fabricadas” para os problemas.

“Como Igreja, não somos chamados a compromissos empresariais, mas a ardores evangélicos”, apontou.

O Papa realçou, depois, que a Igreja Católica discerne as situações não diante do computador, mas diante da realidade das pessoas.

“Pessoas, antes dos programas, com o olhar humilde de quem sabe buscar nos outros a presença de Deus, que não mora na grandeza do que fazemos, mas na pequenez dos pobres que encontramos”, observou.

“A Eucaristia e os pobres, tabernáculo fixo e tabernáculos móveis: ali se permanece no amor e se absorve a mentalidade da fração do Pão”, concluiu.

A confederação internacional da Cáritas debate o tema “Uma Família Humana, Uma Casa Comum”, contando com a presença do presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca; do secretário-geral, João Pereira; e ainda a presidente da Cáritas Diocesana dos Açores, Anabela Borba.

Representantes das 164 organizações nacionais membros da confederação Caritas, vão eleger o novo secretário-geral da Caritas Internationalis.

Os trabalhos começaram com a última ação global da campanha “Partilhar a Viagem”, que consiste numa “colagem interativa de fotografias de migrantes e refugiados do passado e do presente, líderes e pessoas associadas à migração”.

O cardeal Tagle (presidente da Caritas Internationalis) colou uma foto do seu avô – uma criança migrante da China para as Filipinas – na obra de três metros de altura, criada em nome dos migrantes e refugiados pelo artista romano Stefano Maria Girardi.

OC

Partilhar:
Share