Francisco convida a uma vida «mais simples», que rejeite violência verbal

Cidade do Vaticano, 26 fev 2020 (Ecclesia) – O Papa assinalou hoje no Vaticano o início do tempo litúrgico da Quaresma, numa audiência pública que decorreu na Praça de São Pedro, convidando os católicos a “desligar” os ecrãs e dedicar tempo à Bíblia e à caridade.

“A Quaresma é o tempo propício para dar lugar à Palavra de Deus. É o tempo para desligar a televisão e abrir a Bíblia. É tempo para desligar-se do telemóvel e conectar-se ao Evangelho”, declarou, perante milhares de pessoas.

A audiência geral decorreu ao ar livre, evitando concentrações em espaços fechados, como o auditório Paulo VI, num momento em que a Itália enfrenta uma crise provocada pela propagação do novo coronavírus.

Francisco, que recordou as vítimas desta epidemia, assinalou que o tempo de preparação para a Páscoa, no calendário católico, deve ser marcado pela “oração, jejum e obras de misericórdia”, num clima de recolhimento interior.

“Não é fácil fazer silêncio no coração”, assumiu.

O Papa desafiou os crentes a “renunciar a palavras inúteis, a bisbilhotices”, combatendo um ambiente “poluído” pela violência verbal, “que as redes ampliam”.

“É tempo para falar tu a tu com o Senhor”, apontou, apelando à oração e ao que chamou de “ecologia do coração”.

A intervenção partiu do simbolismo do deserto, na Bíblia, sublinhando que este remete hoje para quem vive na solidão e no abandono.

“Quantos pobres e idosos estão ao nosso lado e vivem no silêncio, sem fazer barulho, marginalizados e descartados”, lamentou o pontífice.

“O caminho no deserto quaresmal é um caminho de caridade em direção aos mais fracos”, acrescentou.

A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início hoje com a celebração de Cinzas, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

“Jejuar é saber renunciar às coisas vãs, ao supérfluo, para ir ao essencial. Jejuar não é só para emagrecer, é procurar a beleza de uma vida mais simples”, precisou o Papa.

No final da audiência geral, Francisco deixou uma saudação às várias comunidades escolares de Portugal vindas de Bragança, Carcavelos, Coimbra e Infias, bem como aos alunos e professores da Academia de Música de Santa Cecília, de Lisboa, e aos paroquianos da Brandoa.

“Espero que a visita aos túmulos dos Apóstolos Pedro e Paulo faça nascer, nos vossos corações, uma grande coragem para abraçardes a vossa cruz de cada dia e um vivo desejo de iluminardes com a esperança a cruz dos outros. Nisto, podeis contar com as minhas orações; eu conto com as vossas. Obrigado”, concluiu.

OC

Papa: Quaresma, tempo de se desligar do celular e se conectar com o Evangelho

A catequese do Papa Francisco foi de uma riqueza única hoje, início da Quaresma.O Pontífice propôs uma reflexão sobre o deserto e selecionamos o trecho em que fala da importância de nos desligar dos aparatos eletrônicos e nos reconectar com a Bíblia.Francisco fala também da violência verbal em que vivemos, em que insultar parece algo normal.Confira o vídeo, mas, se puder, leia toda a catequese aqui: https://bit.ly/2ThxXxF

Publicado por Vatican News em Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Quaresma: Papa questiona quem acumula riqueza e apela a «economia mais justa e inclusiva»

 

Partilhar:
Share