Francisco destaca «histórias, desejos, feridas e sonhos» comuns

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 06 jun 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco apontou hoje ao diálogo entre religiões como condição para a paz, num encontro que decorreu no Vaticano.

“Esta é a vossa missão: promover com outros fiéis, de maneira fraterna e convivial, o caminho da busca de Deus, considerando as pessoas de outras religiões não de forma abstrata, mas concreta, com uma história, desejos, feridas e sonhos. Só assim poderemos construir juntos um mundo habitável para todos, em paz”, referiu, falando aos participantes na sessão plenária do Dicastério para o Diálogo Inter-religioso (Santa Sé).

Numa intervenção divulgada pelo Vaticano, o Papa evocou a “sucessão de crises e conflitos” e a “violência destrutiva” na sociedade contemporânea, citando a sua encíclica ‘Fratelli Tutti’ (2020): “Entre indiferença egoísta e protesto violento há uma opção que é sempre possível, o diálogo”.

Francisco convidou a considerar as “histórias, desejos, feridas e sonhos” de cada crente, observando que “a globalização e a aceleração das comunicações internacionais tornam o diálogo em geral, e o diálogo inter-religioso em particular, uma questão crucial”.

Comentando o tema escolhido para a sessão plenária, ‘Diálogo inter-religioso e convivialidade’, o Papa destacou este último conceito, realçando que “une socialmente, mas sem colonizar o outro, preservando a sua identidade.

“Nesse sentido, tem uma relevância política como alternativa à fragmentação social e ao conflito”, prosseguiu.

Dirigindo-se aos católicos, Francisco realçou que Jesus Cristo “fraternizou com todos, conviveu com pessoas consideradas pecadoras e impuras, partilhou sem preconceitos a mesa dos publicanos”.

OC

Partilhar:
Share