Francisco une-se a apelo dos bispos católicos para criação de corredores humanitários e fim de ataques contra locais de culto

Cidade do Vaticano, 20 jun 2021 (Ecclesia) – O Papa alertou hoje no Vaticano para a crise humana em Myanmar, com populações afetadas pela fome e a violência.

“Uno a minha voz à dos bispos do Myanmar, que na última semana lançaram um apelo, chamando a atenção de todo o mundo a experiência angustiante de milhares de pessoas, que nesse país estão desalojadas e estão a morrer de fome”, referiu Francisco, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ângelus.

O Papa uniu-se ao apelo dos bispos católicos da antiga Birmânia, pedindo que sejam abertos corredores humanitárias e que as igrejas, pagodes, mosteiros, mesquitas, templos, bem como escolas e hospitais, sejam “respeitados como locais neutros, de refúgio”.

“Que o coração de Cristo toque o coração de todos, levando a paz ao Myanmar”, concluiu.

A Conferência Episcopal de Myanmar tem sublinhado que as igrejas, onde a população busca refúgio, passaram a ser atingidas por fogo de artilharia do exército.

Os bispos recordam, em particular, os idosos e crianças que passam fome na selva, depois de fugirem das suas casas.

A Assembleia Geral da ONU condenou sexta-feira o golpe militar de Myanmar e pediu um embargo de armas contra o país.

Mais de 860 civis foram mortos desde a tomada do poder total pelos militares, a 1 de fevereiro, segundo a ONU e a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos.

OC

Partilhar:
Share