Incidente aconteceu na Áustria, antes de jogo amigável

Cidade do Vaticano, 24 jun 2019 (Ecclesia) – A recém-formada equipa de futebol feminino do Vaticano retirou-se de campo, antes daquele que teria sido o seu primeiro amigável internacional, após manifestações de protesto contra posições católicas ligadas ao aborto e homossexualidade.

O incidente, relata o portal ‘Vaticano News’, acontece em Viena, onde a equipa iria disputar uma partida contra as austríacas do Mariahilf.

Durante a execução do hino do Vaticano, algumas jogadoras adversárias levantaram as camisolas para mostrar mensagens pró-aborto e pró-LGBT, a que se juntaram algumas faixas nas bancadas.

“Em conjunto com o diretor esportivo, [as jogadoras do Vaticano] tomaram a dolorosa decisão de não jogar a partida, para não continuar a instrumentalização do evento”, assinala o portal de notícias da Santa Sé.

Esta segunda-feira, a direção do Mariahilf escreveu um comunicado, publicado na sua página oficial do Facebook, lamentando o incidente.

“Pedimos desculpas sinceras às jogadoras da equipa do Vaticano e aos nossos convidados que vieram de perto e de longe, pelo facto de o jogo não se ter realizado”, refere o clube.

A equipa de futebol feminino do Vaticano estreou-se a 26 de maio, num jogo amigável contra a Roma (Itália).

A equipa é dirigida por Susan Volpini, secretária da Associação ‘Donne in Vaticano’, e treinada por Gianfranco Guadagnoli; 60% das jogadoras são funcionárias do Vaticano, ou esposas e filhas de funcionários.

OC

Partilhar:
Share