Papa emérito foi eleito há 11 anos

Cidade do Vaticano, 19 abr 2016 (Ecclesia) – O Papa emérito Bento XVI agradeceu as felicitações recebidas no seu 89.º aniversário, celebrado no sábado.

“Ao agradecer os votos de parabéns por ocasião do seu aniversário pessoal, o pontífice emérito Bento XVI retribui com votos de felicidades e, neste Ano Jubilar, acompanha todos com a sua oração e a sua bênção”, refere uma nota divulgada pela Fundação ‘Joseph Ratzinger-Bento XVI’.

A mensagem é divulgada no dia em que se assinala o 11.º aniversário de eleição de Bento XVI como sucessor de João Paulo II.

O Papa alemão viria a anunciar a sua renúncia a 11 de fevereiro de 2013após sete anos e dez meses de pontificado, evocando a ‘avançada idade’ para justificar uma decisão que não se verificava há cerca de 600 anos na Igreja Católica e abrir caminho à eleição de um sucessor, Francisco.

Joseph Ratzinger realizou 24 viagens ao estrangeiro, incluindo um visita a Portugal, entre 11 e 14 de maio de 2010, com passagens por Lisboa, Fátima e Porto.

No total, as viagens pontifícias tiveram como destino prioritário a Europa (16), seguindo-se a América (3), o Médio Oriente (2), a África (2) e a Oceânia (1); a estas somam-se 30 visitas em solo italiano.

Bento XVI assinou três encíclicas e presidiu a três Jornadas Mundiais da Juventude, para além de ter convocado cinco Sínodos de Bispos, um Ano Paulino, um Ano Sacerdotal e um Ano da Fé.

As encíclicas, textos mais importantes do pontificado, começaram a ser publicadas em 2006, com a ‘Deus caritas est’ (Deus é amor), um texto breve que apresenta a ‘essência’ do Cristianismo.

‘Spe salvi’ (Salvos na esperança) é o título da segunda encíclica de Bento XVI, dedicada ao tema da esperança cristã, num mundo dominado pela descrença e a desconfiança.

A terceira encíclica, ‘Caritas in Veritate’ (A caridade na verdade), propõe uma nova ordem política e financeira internacional, para governar a globalização e superar a crise em que o mundo se encontra mergulhado.

Outra obra de grande impacto foi o livro-entrevista ‘Luz do Mundo’, de 2010, resultante de uma conversa com o jornalista alemão Peter Seewald, um registo que permitiu dar a conhecer Bento XVI e o seu pensamento sobre temas centrais para a Igreja e a sociedade.

O ensinamento papal destacou-se, para além das críticas ao relativismo e ao secularismo da sociedade ocidental, pela preocupação com as questões bioéticas ‘ aborto, eutanásia, investigação em embriões ‘ e da família, para além da crise financeira e das questões ecológicas.

A 12 de dezembro de 2012, Bento XVI chegava ao Twitter, onde contava com mais de 2,5 milhões de seguidores em nove línguas, incluindo o português, na altura da resignação.

Ainda em 2012, Joseph Ratzinger encerrou a sua trilogia sobre ‘Jesus de Nazaré’, com um livro sobre a infância de Cristo.

OC

Partilhar:
Share