Comissão Teológica Internacional está a assinalar 50 anos de história

Foto VaticanNews

Cidade do Vaticano, 29 nov 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco recebeu hoje os membros da Comissão Teológica Internacional, que assinala 50 anos de história, e disse que a Teologia “nasce e cresce de joelhos” e os teólogos são “mediadores entre a fé e as culturas”.

Para o Papa, os investigadores em Teologia devem “trazer à luz o Evangelho” com aspetos “sempre novos do inesgotável mistério de Cristo”, traduzindo a fé para a atualidade, para que cada pessoa a sinta mais próxima.

De acordo com o portal de notícias do Vaticano, o Papa afirmou que a Teologia “não é um tratado catedrático sobre a vida, mas a encarnação da fé na vida”.

Criada pelo Papa Paulo VI há 50 anos, a Comissão Teológica Internacional tem ainda um “intenso trabalho a fazer”, afirmou Francisco, porque só uma Teologia que respire o Evangelho, sem ser funcional, pode atrair.

Para o Papa Francisco, a vida espiritual e a vida eclesial são as duas dimensões fundamentais da Teologia.

“A Teologia nasce e cresce de joelhos”, afirmou o Papa.

Para Francisco, a dimensão eclesial da Teologia faz com que esta ciência não se isole, mas atue na comunidade, ao serviço de todos, “para difundir o sabor do Evangelho aos irmãos e às irmãs do próprio tempo, sempre com doçura e respeito”.

Criada após o Concílio Vaticano II, a Comissão Teológica Internacional trabalhou e publicou 29 documentos.

O Papa Francisco valorizou os dois últimos temas tratados pela Comissão Teológica Internacional, o da sinodalidade e da liberdade religiosa, por serem temas que tem “muito a peito”.

De acordo com o VaticanNews, o Papa Emérito Bento XVI também expressou a sua gratidão pela existência deste organismo, a que esteve ligado antes de ser eleito Papa.

PR

Partilhar:
Share