Tema em debate nas III Jornadas Nacionais de Pastoral do Turismo, a decorrer em Bragança

Bragança, 27 out 2017 (Ecclesia) – A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirmou hoje que o setor ganha se trabalhar em conjunto “sem capelinhas” aproveitando a notoriedade que Portugal tem ganho nos últimos anos.

“Trabalhar com todos e sem capelinhas – esse é um exercício e abertura que temos de construir”, afirmou a responsável aos jornalistas durante as III Jornadas Nacionais de Pastoral do Turismo que decorrem na cidade de Bragança e incidem sobre a sustentabilidade.

A secretária de Estado recordou números que dão conta de um volume crescente de procura: “250 milhões de pessoas por ano em viagens por motivos religiosos, 40% deste volume acontece na Europa”.

“Estamos a trabalhar em conjunto para que o património seja usado por todos. É um trabalho de rede que estamos a construir para que todo o mapa de Portugal seja um mapa de turismo religioso”.

Ana Mendes Godinho afirma que o turismo religioso deixou de “ser nicho” para se transformar num “ativo económico mas também em um ativo de posicionamento do país”, uma vez que apresenta um território “aberto, tolerante, de paz, onde as pessoas se encontram, onde há diálogo”.

“Que imagem mais poderosa poderíamos ter do que o Papa em Fátima a falar de paz?”

Enquanto manifestação de “cultura e história”, Ana Mendes Godinho sublinha o turismo religioso como “um eixo de promoção do país”.

Face à notoriedade que Portugal tem ganho, “todos temos a responsabilidade de aproveitar e transformar em motor de promoção da sustentabilidade económica mas também de coesão territorial”.

O turismo religioso, seja por motivações espirituais ou culturais, proporciona uma descoberta “de todo o território”, fator que conduz ao encontro de “altares marianos, caminhos de Fátima, manifestações religiosos ao longo de todo o ano”.

“A sazonalidade está a deixar de ser um problema graças a este conjunto de atividades que se encontram em todo o país”, indica Ana Mendes Godinho.

A responsável dá conta de que está a ser preparado um portal «Os caminhos da fé», com conteúdos sobre os caminhos de Fátima e de Santiago, informações sobre altares marianos mas também património e roteiros judaico, a ser disponibilizado ao público em janeiro.

As III Jornadas Nacionais de Pastoral do Turismo decorrem até amanhã, em Bragança, e centram-se na reflexão »Turismo e Sustentabilidade – Economia, Sociedade e Ambiente».

LFS/LS

Partilhar:
Share