Lisboa, 25 dez 2014 (Ecclesia) – A revista internacional católica «Communio» dedica a sua última edição, o número 2 do ano 2014, ao tema «Saúde e questões sociais».

“Não se abordam aqui todas as questões sociais que terão implicações nos cuidados de saúde. Como não se trata também de todas a dimensões que os cuidados de saúde revestem”, explica a apresentação da última edição da revista.

“As desigualdades sociais fazem mal à saúde”, do padre José Pereira de Almeida, é o primeiro artigo e “faz eco” de como a “injustiça se reflete na saúde”.

Licenciado em medicina, Adalberto Campos Fernandes, escreve sobre “saúde – escolhas, custos e valor”, onde “pensa” sobre a “complexa questão da sustentabilidade”.

Na apresentação da revista é considerado que o tema “O direito à proteção da saúde no Estado Social”, consagrado desde 1976, é “excelentemente explanado” por Sérgio Deodato, professor auxiliar no Instituto de Ciências da Saúde, da Universidade Católica Portuguesa.

Por sua vez, o médico João Queiroz e Melo, pioneiro em transplantes de coração em Portugal, equaciona sob outro ponto de vista o tema “sustentabilidade em saúde, um novo paradigma de cuidados. Que caminhos para o futuro”.

A coordenadora e uma colaboradora do Observatório Português dos Sistemas de Saúde, explicam o que é um observatório e o que este faz em concreto, com 15 anos e que apresenta anualmente o “Relatório Primavera”.

Em “A saúde das pessoas pode ser assegurada pelas políticas de saúde”, uma especializada em saúde pública e economia da saúde, revela “as vantagens e os limites” de uma conceção assente na definição da Organização Mundial de Saúde.

O padre belga Valeer Neckebrouck reflete sobre “alguns aspetos da medicina tradicional” na dimensão farmacológica, psicológica, social e religiosa na interrogação “Quem tem competência para falar da doença e da saúde?”.

A professora de História, na Universidade Évora, Laurinda Abreu, em “A emergência das políticas sociais e da saúde pública” apresenta a forma como foram “organizadas as primeiras políticas sociais em Portugal”, inseridas num contexto europeu, e tem como “baliza cronológica” o final de setecentos.

No artigo “Os sentidos da hospitalidade ou da medicina narrativa ao serviço da ‘nova medicina’”, a professora catedrática Isabel Fernandes, assinala a “importância de tratar” do doente “como um todo”.

O padre Vitor Feytor Pinto, que durante 28 anos esteve à frente da Comissão Nacional da Pastoral da Saúde, apresenta uma reflexão sobre este “maravilhoso instrumento de evangelização”.

A revista «Communio» apresenta ainda uma recensão sobre o romance “O Fiel Jardineiro”, de John Le carré, por Maria Luísa Falcão, mestre e docente aposentada de língua inglesa, que aconselha ainda a visualização da adaptação deste livro para cinema pelo realizador brasileiro Fernando Meirelles.

No penúltimo artigo, o diretor clínico do Hospital Alexianer, em Colónia, Alemanha, interroga-se sobre a existência de uma “nova religião” e defende que a saúde deve ser preservada de “forma moderada, sem fundamentalismo”.

Em “Perspectivas”, a última edição da revista, assinala os 100 anos da Primeira Guerra Mundial com um artigo do historiador francês Olivier Chaline.

A revista internacional católica «Communio» destaca que os temas para 2015 são: “Pai Nosso que estais nos céus”; “Uma Igreja pobre para os pobres”; “Reabilitar a política” e “Kenose”.

CB/PR

Partilhar:
Share