Iniciativa reuniu 200 participantes, em Lisboa

Lisboa, 25 nov 2019 (Ecclesia) – A Família Missionária Verbum Dei promoveu este sábado um encontro sobre ‘Conciliação entre família, trabalho e impacto social’, no seu ‘Think Tank 3+’, que reuniu cerca de 200 pessoas no salão nobre da Universidade de Lisboa.

Os participantes foram desafiados a um novo olhar sobre a relação família-trabalho em tempo de mudanças sociais, culturais e económicas.

Miguel Pina e Cunha e a Joana Costa Pereira – da Nova School of Business and Economics (Nova SBE) – apresentaram a reflexão recente no meio académico sobre a temática da conciliação nestes campos, falando na carga laboral e em “pais de fim de semana”.

Joana Costa Pereira destacou que a família e o trabalho são “fonte de preenchimento, satisfação e felicidade”, observando que estas duas esferas estão, hoje em dia, cada vez mais “em conflito”.

Já Miguel Pina e Cunha alertou para a falta de espaço para “desligar”, convidando ver a relação entre família e trabalho como facetas “interdependentes”, dimensões “fundamentais” para a realização das pessoas.

Como propostas de solução, foram apresentadas iniciativas como oferecer tempo para colegas, de forma voluntária, ou desenhar tipos diferentes de colaboração adequadas às várias fases da vida pessoal, além de práticas de quatro dias de trabalho, por semana, que se iniciaram recentemente no Japão.

Maria Teresa Ribeiro da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, terapeuta familiar, destacou o surgimento de “microfamílias”, com cada vez menos filhos e um envelhecimento da população.

A especialista falou numa geração “ensanduichada” entre os descendentes, as exigências do casal e da vida profissional, além da gestão da vida familiar alargada, que exige maior “equilíbrio” entre os vários papéis, valorizando a “transmissão de competências” da família para o trabalho, por exemplo.

Manuel Barata de Tovar, co-fundador da ‘The Loop co.’, empresa social dedicada à economia circular e responsável pela ‘ACEGE next’ em Coimbra, abordou a evolução da realidade laboral, denunciando o “paradoxo da ganância” – uma maior produção, em menos tempo, que não permite que as pessoas trabalhem menos.

“A diferença está nas prioridades de cada um e também enquanto sociedade”, sustentou.

Alexandra Fernandes, Médica de família e fundadora da «Fundação Ruben Fernandes – Microfinanciamento para o Desenvolvimento», abordou a “globalização da indiferença”, para que o Papa Francisco tem alertado.

“Porque é que muitas vezes não vemos?”, questionou, falando num tempo de excesso de “estímulos”, externos e internos.

“Precisamos muito de olhos que olhem para fora”, apontou.

Após as intervenções dos convidados, Guilherme e Hugo Marques dinamizaram um momento prático, desafiando os participantes a ser “agentes de mudança”.

O ‘Think Tank 3+’ foi encerrado pelo humorista e contador de histórias José Pedro Cobra, que convidou os presentes a “olhar com outros olhos” uma realidade de “mudança inevitável”.

“Nós não podemos deixar as franjas de fora”, apelou.

OC

Partilhar:
Share