Padre José André Ferreira destaca oferta da Paulus Editora direcionada para os jovens

Lisboa, 06 jun 2018 (Ecclesia) – O diretor editorial da Paulus explica que a editora na Feira do Livro de Lisboa 2018 acompanha “os ritmos da Igreja” com uma variada oferta para os jovens, no âmbito do Sínodo dos Bispos, e temas da atualidade.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o padre José André Ferreira destaca a “novidade” ‘Grupos Jovens de Jesus’, que a editora traduziu para a juventude portuguesa ter uma “proposta de leitura continuada da Sagrada Escritura”.

Aos visitantes da 88.ª Feira do Livro de Lisboa, a Paulus Editora apresenta também duas biografias de jovens que “trabalharam imenso” durante a vida para “alcançar” um “ideal de santidade”: ‘Um Santo Surfista’, sobre o médico e seminarista brasileiro Guido Schäffer e sobre o português ‘Luís (Silva) – Uma luz que se espalha’, organizado pela Juventude Mariana Vicentina.

O diretor editorial da Paulus destaca também nas publicações direcionadas para a juventude os vários livros da coleção ‘YouCat’ e o ‘Twittando com Deus’, que faz “algum furor junto da juventude”

“Acompanhando os ritmos da Igreja não podemos esquecer o Sínodo dos Bispos, sobre os jovens, e foi com essa preocupação que marcamos presença na feira do livro”, explica.

Segundo o padre José André Ferreira “há, claramente, um interesse” dos jovens “em usar todos os meios disponíveis” para se dedicarem à leitura, seja no papel ou através das tecnologias, o que “não quer dizer que abandonem um pelo outro”.

“Conseguem um híbrido muito interessante. O papel tem a mais-valia de poder ser riscado, sublinhado, ficar com as marcas do tempo e do uso”, acrescentou, assinalando que nas novas gerações “é inato o complemento entre digital e papel”.

Para o diretor editorial da Paulus hoje existem “há outras preocupações” no livro religioso que não se centram “só” na piedade, na interpretação teológica mas existem “outras interpretações mais próximas da realidade” que ajudam a ler a Bíblia “sempre à luz do Evangelho”.

“A evangelização não pode ser feita desencarnada da realidade em que está inserida e o mundo evoluiu e as necessidades dos homens de hoje são distintas de algumas décadas a esta parte”, desenvolveu o entrevistado, salientando propostas que são “repropostas”, como clássicos da espiritualidade portuguesa, romances, e literatura geográfica como Guedes de Amorim ou Francisco Costa.

A Feira do Livro de Lisboa, que decorre até 13 de junho, há um aumento do livro religioso e da temática cristã nas várias editoras mas alerta que, às vezes, se “confunde o que é religião com esoterismo”.

“Acho que há também uma apetência por aquilo que são estes temas de fé, o que não deixa de ser sinal e bom presságio”, realça.

Nos stands A59 e A61, a Paulus Editora para além das suas publicações representa ainda a Editorial Cáritas, a LIAM, ligada aos Espiritanos, as Edições Salesianas e as Edições Carmelo, bem como, o Secretariado Nacional de Liturgia.

Para o padre José André Ferreira a presença da editora na feira do livro “é importante” também pelos resultados “em termos de proximidade” e o contacto com os visitantes, porque assim se torna “mais do que evidente” que a Igreja “vai aos locais onde as pessoas estão”.

“A preocupação não é tanto investir, mas levar o Evangelho a quem dele necessita”, refere o religioso sobre o investimento que fazem nestas participações e na rede de livrarias da editora católica.

Na 88.º Feira do Livro de Lisboa, na alameda do Parque Eduardo VII, estão presentes outras editoras católicas como as Paulinas Editora Portugal (B34-B36-B38), as Publicações Jesuítas (B05) ou a Universidade Católica Editora (D 53-D 55).

HM/CB

Partilhar:
Share