Cidade do Vaticano, 25 out 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco pediu hoje perdão pelo lançamento de duas imagens amazónicas que foram atiradas ao rio Tibre, em Roma, após serem roubadas de uma igreja, junto ao Vaticano.

Falando de improviso após a 15ª reunião geral do Sínodo especial para a Amazónia, o pontífice quis “dizer uma palavra sobre as estátuas da pachamama que foram retiradas da Igreja Santa Maria em Traspontina, que estavam lá sem intenções idólatras e foram atiradas ao Tibre”.

“Em primeiro lugar, isto aconteceu em Roma e, como bispo da diocese, peço perdão às pessoas que foram ofendidas com este gesto”, declarou.

O Papa quis comunicar que as estátuas, que “criaram tanto clamor mediático, foram encontradas”, sem danos, e recuperadas pelas autoridades policiais italianas.

As imagens que figuram uma mulher grávida, como símbolo da vida, poderão ficar expostas este domingo na Missa de encerramento do Sínodo, uma decisão que Francisco delegou no secretário de Estado do Vaticano.

As imagens são utilizadas pelas “Equipas itinerantes”, grupo católico da América Latina.

OC

Partilhar:
Share