P. José Maria Brito, sj

Foi publicada há momentos a Exortação Apostólica “Cristo Vive”. Uma carta do Papa Francisco aos jovens na sequência do Sínodo. Um convite à liberdade e a que a Igreja seja capaz de escutar, assumindo a sinodalidade como modo de proceder.

As pessoas tendem a vencer o medo e a arriscar quando confiamos nelas, quando não as menorizamos e as levamos a sério. O Papa Francisco acaba de dirigir aos jovens uma carta em forma de Exortação Apostólica pós-sinodal: Cristo vive (CV). Nessa carta, Francisco manifesta uma enorme confiança na juventude, sem que isso signifique qualquer condescendência. É intransigente no respeito pela liberdade pessoal de consciência, recordando a cada destinatário: “Deus respeita até ao fundo a tua liberdade” (CV 113). É também exigente na exortação que faz aos jovens para que não se resignem nem alienem a liberdade que Cristo lhes oferece: “Queridos jovens, por favor, não “vejam a vida da varanda”, entrem nela. Jesus não ficou à varanda, entrou na vida; não olhem da varanda para a vida, metam-se nela, como fez Jesus. Mas sobretudo, de uma forma ou de outra, sede lutadores pelo bem comum, sede servidores dos pobres, sede protagonistas da revolução da caridade e do serviço, capazes de resistir às patologias do individualismo consumista e superficial”. (CV 174)

CONTINUAR A LER

Partilhar:
Share