Processo de beatificação do padre Kentenich encontra-se suspenso

Lisboa, 06 mai 2022 (Ecclesia) – Ana Sanches, da presidência nacional do movimento de Schoenstatt em Portugal, disse hoje à Agência ECCLESIA que os membros da instituições estão empenhados em esclarecer as acusações feitas ao fundador, que fizeram suspender o processo de beatificação.

“Espero que se consiga esclarecer, de uma vez por todas, este processo das acusações ao padre Kentenich e que neste momento foi pedido uma comissão independente para rever o processo à luz das tendências atuais”, explicou a responsável em declarações à Agência ECCLESIA.

Segundo informação divulgada pelo Vaticano “o processo de beatificação do Pe. José Kentenich está suspenso” e D. Stephan Ackermann, bispo da Diocese de Treves, Alemanha, deseja que “as pesquisas continuem, de modo independente”.

“O motivo desta decisão do bispo encontra-se nas acusações de abusos supostamente praticados pelo Pe. Kentenich, publicadas no ano de 2020. Essas acusações já eram conhecidas, nas fases anteriores à fase diocesana do processo de beatificação. Na época, os responsáveis também as investigaram, com os meios disponíveis naquele tempo”, pode ler-se.

Em entrevista ao jornalista Felix Neumann, o bispo da Diocese de Treves reforçou que não podia “esclarecer estas questões dentro do processo de beatificação” e que “havendo alegações de abuso, o procedimento deve ser diferente do previsto num processo de beatificação”.

Segundo Ana Sanches, estas acusações “já tinham sido feitas e tratadas” mas, considera que uma nova “sensibilidade” faz com que se tenha sentido necessidade de rever o caso.

“É com alegria e confiança e com a certeza que este processo nos vai ajudar, dentro e fora do movimento, a conhecer melhor a obra, missão e carisma do padre Kentenich e para nós é com toda a confiança e segurança que isto se faz”, indica a responsável.

Ana Sanches sustenta que a situação “não vai parar a dinâmica do movimento”, “que olha para o futuro com “muita esperança”.

À Agência ECCLESIA a responsável adiantou que foram pedidos encontros com o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, e o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. José Ornelas, bem como com todos os responsáveis diocesanos onde o movimento está presente.

“Queremos dar uma explicação porque trabalhamos com eles sempre, estamos envolvidos em todas as dinâmicas pastorais, somos o coração da missões universitárias, e fazemos trabalho nas paróquias e de evangelização, queremos passar pessoalmente tranquilidade e confiança aos bispos e continuaremos a trabalhar”, aponta.

Segundo a responsável o postulador da Causa de Canonização de José Kentenich, padre Eduardo Aguirre, continua em Roma a trabalhar neste processo com uma comissão independente.

SN 

Partilhar:
Share