«Primeiro lugar deve ser dado às pessoas», destaca Francisco

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 11 set 2020 (Ecclesia) – O Papa alertou hoje no Vaticano para o predomínio da dimensão económica sobre a preocupação com os doentes, no mundo da saúde, falando aos participantes do Congresso Mundial de Ginecologia Oncológica.

“O Primeiro lugar deve ser dado às pessoas”, sustentou Francisco, numa intervenção divulgada pela Sala de Imprensa da Santa Sé e enviada à Agência ECCLESIA.

Segundo o pontífice, não se deve permitir que a economia entre no mundo da saúde “de forma tão prepotente que chegue a penalizar aspetos essenciais, como a relação com os enfermos”.

“Acredito que pode ser encontrado um equilíbrio entre os diferentes fatores”, observou o Papa, destacando que é preciso dar voz a quem, pela “fragilidade da sua condição pessoal, económica e social”, não está a ser ouvido.

Em qualquer caso, o primeiro lugar deve ser dado às pessoas, neste caso as mulheres doentes, mas também – não esqueçamos – aos funcionários que trabalham em contacto estreito com elas todos os dias, para que possam trabalhar em condições adequadas”.

Francisco observou que “o doente é muito mais que o protocolo dentro do qual se enquadra do ponto de vista clínico”.

A intervenção aludiu à especificidade da ginecologia oncológica, área “com um impacto profundo na vida da mulher”.

“É indispensável cuidar, com grande sensibilidade e respeito, da condição, psicológica, relacional e espiritual de cada paciente”, apelou.

O Papa destacou ainda a importância de um cuidado integral, “mesmo nos casos em que o tratamento é essencialmente paliativo”.

OC

Partilhar:
Share