«Na vida deve haver lugar para a beleza», considera a superiora geral da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima

Santarém, 25 ago 2021 (Ecclesia) – As Servas de Nossa Senhora de Fátima (SNSF) promoveram o “recital de agosto” para evocar o aniversário da morte da fundador da congregação, Luiz Andaluz, numa noite de “música e a linguagem da beleza”, na Catedral de Santarém.

“Esta noite remeteu-me para a beleza que foi a vida de Luiza Andaluz e que ela e nós desejamos que seja a vida das pessoas” afirmou a irmã Maria de Jesus Silvério que recentemente assumiu o governo geral da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima.

A responsável pela congregação disse à Agência ECCLESIA que este recital quis contribuir para “uma vida onde a beleza tem lugar e as pessoas podem usufruir das coisas boas da vida”.

Para as SNSF uma das prioridades é viver a fraternidade.

“Na congregação, como irmãs, fazermos esta experiência de estarmos unidas e de caminharmos juntas” refere a irmã Maria de Jesus.

“O que tenho vou dar-te” foi o lema do XVII Capítulo Geral das SNSF, que decorreu entre os dias 14 e 25 De julho, e motiva a congregação ao trabalho, à confiança em Deus, mas também a fazer “tudo o que está ao alcance” de cada religiosa, como afirma a atual responsável.

O dia 20 de agosto é uma data especial para as SNSF, porque foi o dia em que, há 48 anos, faleceu Luiza Andaluz.

Paula Carneiro no violino e Nuno Margarido Lopes ao piano, interpretaram várias peças musicais na Sé de Santarém, num momento cultural que evocou a obra e exemplo de vida de Luiza Andaluz.

HM

Partilhar:
Share