Iniciativa contou com cerca de 400 participantes, em Tomar

Tomar, 21 nov 2022 (Ecclesia) – A Diocese de Santarém promoveu este sábado a sua Jornada da Juventude, reunindo cerca de 400 participantes em Tomar, para reafirmar a intenção de “chegar a todos”, rumo ao encontro mundial de Lisboa.

“A nossa missão é chegar a todos os jovens, dar-lhes a conhecer a Jornada e mobilizá-los, como diocese de acolhimento”, disse à Agência ECCLESIA o padre Ricardo Conceição, diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil.

A XXXVII Jornada Mundial da Juventude (JMJ) assinala-se em duas etapas: a primeira aconteceu na solenidade litúrgica de Cristo-Rei, este domingo, a nível das dioceses católicas; já a nível internacional, vai decorrer em Lisboa de 1 a 6 de agosto de 2023.

‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’, uma passagem do Evangelho segundo São Lucas (Lc 1,39), é o tema deste encontro, adiado, por um ano, devido à pandemia de Covid-19.

Em Tomar, os participantes tiveram um “jogo de cidade”, em Tomar, apesar da chuva, e sessões de conversa com apresentação de experiências ligadas à JMJ e ao voluntariado.

“Quisemos com isso despertar os mais velhos para esta missão do voluntariado, no acolhimento da Jornada”, precisa o padre Ricardo Conceição.

Um dos convidados foi Afonso Borga, gestor de projetos de responsabilidade social, para quem o voluntariado permite aos jovens sentir-se “protagonistas”, servindo com os “seus talentos” próprios.

O conferencista, de 27 anos, com várias experiências de voluntariado, em Portugal e no estrangeiro, vê na JMJ uma oportunidade para “trabalhar a empatia”.

“O facto de os jovens, de todas as partes do mundo e com as mais diversas caraterísticas e pensamentos, estarem ali com um propósito comum, com esta ideia e sonho comum”, precisa.

Foto: COD Santarém

Mariana Prudêncio, da equipa de comunicação do Comité Organizador Diocesano (COD) de Santarém, sublinha que a experiência de sábado permitiu aos jovens experimentar um pouco do que vai ser a JMJ Lisboa 2023.

“Há uma certa envolvência, uma necessidade de participar, e querer estar presente”, assinala.

Um dos participantes foi Duarte Almeida, de 17 anos, membro do Comité Organizador Paroquial de Vila Chã de Ourique.

“Sinto-me realizado”, confessou, destacando a participação de muitos jovens cristãos neste evento.

Quanto a Lisboa 2023, o jovem assume que “a prioridade é ser voluntário paroquial”, mostrando-se “muito entusiasmado”.

Alexandre Moura, do Comité Organizador Paroquial da Chamusca, destacou a necessidade de mobilizar outros participantes para uma experiência “arrebatadora”, em Lisboa.

“Espero algo fora do comum, que vai espantar toda a gente”, indica o jovem, de 17 anos.

O programa concluiu-se com um flashmob, partindo do hino da JMJ Lisboa 2023, ‘Há pressa no ar’.

LS/OC

O diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Santarém refere que o organismo tem procurado “capacitar os jovens, para que nas paróquias desenvolvam atividades para divulgar e preparar o que é necessário para a Jornada Mundial da Juventude”.

O padre Ricardo Conceição elogia o “entusiasmo” de municípios e associações com este “grande desafio” de ser diocese de acolhimento dos peregrinos da JMJ Lisboa 2023.

A Diocese de Santarém está a promover uma campanha de divulgação e inscrição para famílias de acolhimento, com a ajuda da Pastoral Familiar, o Comité Organizador Diocesano e as várias paróquias.

Partilhar:
Share