Atividade promovida pelo Movimento do Apostolado de Adolescentes e Crianças

Lisboa, 06 ago 2018 (Ecclesia) – O Movimento de Apostolado de Adolescentes e Crianças (MAAC) dedicou o seu acampamento interdiocesano deste ano, em Agroal, no concelho de Ourém, à temática do racismo e da discriminação.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, aquele organismo católico destaca “uma experiência incrível” de formação e convívio, que contou com cerca de 90 participantes das dioceses de Lisboa, Santarém, Setúbal e Coimbra, com os respetivos voluntários e acompanhantes.

O lema do encontro foi ‘Racismo e Discriminação, Porquê’, trabalhado com os mais novos a partir do “método da revisão de vida: o ver, o julgar e o agir”.

“Os objetivos do acampamento foram conviver e brincar com outros grupos, descobrir porque é que ainda há racismo, aprender a aceitar a diferença, tomar consciência de que vivemos todos na mesma ‘casa’ e pensar como Jesus pensou”, pode ler-se.

Ao longo da atividade, foram abordados vários “tipos de discriminação” que marcam hoje a sociedade.

Aos participantes foi transmitida a importância de ideais como “contrariar o racismo”, “parar de falar mal dos outros”, “aceitar a diferença”, “ouvir mais os outros”, “perdoar os inimigos”.

Crianças e jovens foram ainda desafiadas a “escrever numa folha de papel” o que aprenderam ao longo dos dias e a imaginarem de que forma é que podem “transmitir” isso aos outros.

O Movimento Nacional de Apostolado de Adolescentes e Crianças existe em Portugal desde os finais dos anos 70 do século XX e tem por objetivo dar voz e protagonismo às crianças e adolescentes.

JCP/OC

Partilhar:
Share