Francisco destaca papel das mulheres na construção do futuro, em reflexão centrada na figura da Virgem Maria

Foto: Lusa

Bucareste, 31 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco encerrou hoje o primeiro dia da sua visita à Roménia com uma celebração na catedral católica de São José, em Bucareste, destacando o papel das mulheres na construção do futuro.

“Contemplar Maria permite-nos estender o olhar sobre tantas mulheres, mães e avós destas terras que, com sacrifício sem alarde, abnegação e empenho moldam o presente e tecem os sonhos do futuro. Doação silenciosa, tenaz e despercebida”, declarou, na homilia da Missa, perante centenas de pessoas que lotaram o templo.

A celebração decorreu depois de uma série de encontros ecuménicos com responsáveis da Igreja Ortodoxa da Roménia.

A passagem do papamóvel pelas ruas da capital romena foi acompanhada por centenas de pessoas.

Francisco centrou a sua reflexão para a minoria católica (cerca de 7% da população do país) em três expressões “Maria caminha, Maria encontra, Maria rejubila”.

Falando das várias viagens realizados pela Virgem Maria, particularmente venerada pelos católicos romenos, o Papa sublinhou que “nunca foram caminhos fáceis, exigiram coragem e paciência”.

Foto: Lusa

A intervenção destacou a importância do encontro entre jovens e idosos, dando origem ao “milagre” da cultura do encontro, “na qual ninguém é descartado nem rotulado”.

“Cultura do encontro que nos impele, a nós cristãos, a experimentar o milagre da maternidade da Igreja que procura, defende e une os seus filhos”, acrescentou o pontífice.

Francisco afirmou que “o problema da fé é a falta de alegria”, que encerra as pessoas em si próprias e leva a esquecer Deus, “Pai, salvador e poderoso”.

Pensemos nas grandes testemunhas destas terras! Pessoas simples, que confiaram em Deus no meio das perseguições. Não colocaram a sua esperança no mundo, mas no Senhor, e assim continuaram em frente”.

No final da sua intervenção, o Papa desafiou os católicos a ser “promotores duma cultura do encontro que desminta a indiferença e a divisão e permita a esta terra cantar, com força, as misericórdias do Senhor”.

No sábado, o pontífice desloca-se a Bacau, na região da Moldávia, onde pelas 11h30 preside à Missa no Santuário de Sumuleu-Ciuc, destino histórico de peregrinação para os católicos de língua húngara da Roménia e de outros países; a celebração vai contar com a presença do presidente da Hungria, Janos Ader.

OC

Partilhar:
Share