O padre Nuno Santos desafia os cristãos a serem uma provocação no mundo e afirma que o tempo dos «resultados rápidos» não pode ser o caminho da Igreja: «O cristianismo deveria ser uma pergunta», indica. Acompanhar processos, propor profundidade, serenidade e qualidade devem ser as opções e o caminho de relação da Igreja com o mundo.

 

Partilhar:
Share