D. Rui Valério apresenta projeto de comunhão «com o povo de Bangui»

Lisboa, 21 fev 2020 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e de Segurança anunciou que o Ordinariato Castrense vai ajudar na escolarização de crianças da República Centro-Africana, através da renúncia quaresmal de 2020.

“Iremos estar em comunhão com o povo de Bangui, na República Centro-Africana, destinando o fruto da nossa renúncia Quaresmal deste ano ao projeto que visa aproximar as crianças da Escola, incentivando a frequência escolar e contribuindo para a sua escolarização”, indica D. Rui Valério, em mensagem enviada à Agência ECCLESIA.

O responsável católico cita o cardeal Dieudonne Nzapalainga, arcebispo de Bangui: “Agora, graças à ação dos militares portugueses, já estão reunidas as condições para restituir as crianças à escola; tirá-las da rua e dos esconderijos e dar-lhes um amanhã”.

A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início com a celebração de Quarta-feira de Cinzas – este ano no próximo dia 26 – marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

O bispo das Forças Armadas e de Segurança deixa uma mensagem ligada à defesa da natureza e fala num “tempo deveras favorável porque, com seu sentido de sobriedade, propõe que se não consumam recursos desnecessários, como a água e a eletricidade”.

“Convida-nos a não poluir, a andar a pé, atividade que faz muito bem à saúde e ao ambiente, a poupar energia elétrica e a usar de forma parcimoniosa essa panóplia de meios que favorecem o bem-estar, mas que são também altamente poluentes e, por vezes, até induzem vícios”, acrescenta.

D. Rui Valério convida a dedicar mais tempo e espaço para a oração, “tanto pessoal como comunitária”, sobretudo a participação na Eucaristia e na meditação da Palavra de Deus.

OC

Proponho que a Quaresma nos mobilize a progredir

  1. Na comunhão com Deus;
  2. Na comunhão com os outros;
  3. Na comunhão connosco;
  4. Na comunhão com o planeta.
Partilhar:
Share