Fundação pontifícia convida a «honrar e recordar» quem deu a vida por causa da sua fé, no século XXI

Lisboa, 16 fev 2021 (Ecclesia) – O secretariado português da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) vai propor, a partir desta quarta-feira, uma Quaresma com os “cristãos perseguidos”, evocando quem deu a vida por causa da sua fé, no século XXI.

“Durante a Quaresma, a Fundação AIS tenciona honrar e recordar aqueles que heroicamente ofereceram a sua vida por Deus e pelos seus irmãos. Não estamos a investigar o passado ou tempos distantes. Todos os testemunhos são do séc. XXI. Aqui e agora somos testemunhas da dedicação dos nossos irmãos e irmãs na fé”, explica a organização católica.

A proposta organiza-se num “calendário” de oração em cada dia do tempo que leva os católicos até à celebração da Páscoa, com uma nota biográfica de cristãos mortos em vários países.

“Todos os dias podiam ter optado por fugir do Iraque, Síria, Iémen, Burkina Faso, Nigéria, Índia ou Paquistão, onde ser cristão pode significar a morte. Podiam ter calado a sua fé, emigrado para outro país mais pacífico, ter olhado para o lado diante da corrupção e da injustiça. Mas escolheram seguir o Mestre, tomar a cruz de cada dia, imolar-se pelos seus irmãos e levar o amor de Deus até ao último recanto da terra”, precisa a AIS.

A fundação pontifícia quer recordar os portugueses da importância de estar atento “ao drama dos cristãos perseguidos no mundo por causa da sua fé”.

“Um drama que se acentua ainda mais dadas as consequências devastadoras que a terrível pandemia está a provocar ao nível económico”, acrescenta a organização.

O secretariado português da AIS convida os portugueses a rezar o terço pelos cristãos perseguidos, nesta Quaresma.

“Todos podemos oferecer um pouco do nosso tempo rezando pelos que mais sofrem”, diz Catarina Martins de Bettencourt, diretora da Fundação AIS em Portugal, em comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

A organização católica destaca que “entre os que mais sofrem estão todos os que são violentados nos seus direitos mais básicos apenas por serem cristãos, por professarem a religião mais perseguida no mundo”.

“Peço que nos ajudem a fazer desta iniciativa uma verdadeira corrente de oração. Todos juntos seremos seguramente mais fortes”, diz Catarina Martins de Bettencourt.

A partir desta quarta-feira, durante a Quaresma, a AIS marca presença no programa ECCLESIA (RTP 2, 15h00) para um espaço informativo sobre a ‘Igreja no Mundo’, que relata casos de perseguição religiosa contra cristãos.

OC

Partilhar:
Share