Dados revelados por Pedro Strecht, coordenador do organismo

Lisboa, 16 jan 2022 (Ecclesia) – A Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica em Portugal registou 102 testemunhos, na sua primeira semana de trabalho.

O coordenador do organismo, Pedro Strecht, referiu em nota escrita, enviada à Lusa, que os 102 relatos validado contêm “momentos de profunda dor e sofrimento”.

Os testemunhos foram recolhidos desde o último dia 11, através do preenchimento de inquérito ‘online’ ou por chamada telefónica.

Segundo o coordenador, existem depoimentos de pessoas entre os 30 e os 80 anos, “todas abusadas enquanto crianças”, e a comissão já tem “situações agendadas para contacto pessoal”.

“As histórias de abuso e trauma ouvidas e/ou registadas contêm momentos de profunda dor e sofrimento e, claro está, décadas de silenciamento de cada pessoa, todos merecem a nossa profunda empatia e respeito”, sublinhou Pedro Strecht, em nota divulgada este sábado.

No final dos seus trabalhos, que decorrem até 31 de dezembro, a comissão vai elaborar um relatório, a ser entregue à Conferência Episcopal Portuguesa (CEP).

O Conselho Permanente da CEP saudou na última terça-feira o início dos trabalhos do organismo.

“O Conselho tomou nota da apresentação pública da Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais na Igreja Católica Portuguesa, ocorrida ontem [10 de janeiro] na Fundação Calouste Gulbenkian, congratulando-se com os passos iniciais até agora empreendidos”, referiram os bispos católicos, em comunicado.

OC

Especial: Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais abre canais para chegar a «todas as vítimas» (c/vídeo)

Partilhar:
Share