Assembleia Extraordinária do episcopado aprovou também a Equipa Sinodal da Conferência Episcopal

Fátima: 22 jun 2022 (Ecclesia) – A Assembleia Plenária do episcopado aprovou a Equipa Sinodal da Conferência Episcopal Portuguesa e definiu as formas de acesso aos arquivos diocesanos para investigar os casos de abuso sexual por membros da Igreja.

Em reunião extraordinária, que decorreu hoje em Fátima, a Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) “acertou procedimentos comuns quanto ao acesso aos arquivos diocesanos por parte do Grupo de Investigação Histórica (GIH) ligado à Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa” e publicou o documento “12 perguntas e respostas sobre os arquivos das dioceses – segundo o direito da Igreja”, de “caráter pedagógico” e com “informações e critérios sobre o assunto”.

“A Comissão Independente tem por missão recolher informação sobre factos relativos a abusos sexuais de menores cometidos por pessoas com funções na Igreja, pelo que os documentos que existam situam-se no arquivo secreto da diocese. O acesso é feito em articulação direta com o bispo de cada diocese”, indica o documento.

A Assembleia Plenária Extraordinária da CEP foi também “informada sobre o documento ‘Base comum de atuação das Comissões Diocesanas para Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis’, aprovado pela respetiva Equipa de Coordenação Nacional e homologado pelo Conselho Permanente da CEP”.

O comunicado da Assembleia Plenária Extraordinária refere também que foi aprovada a “constituição da Equipa Sinodal da Conferência Episcopal Portuguesa” com o “objetivo de elaborar a síntese da CEP a partir das sínteses diocesanas, a qual será enviada à Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos até 15 de agosto de 2022, e acompanhar o processo sinodal a nível da CEP”.

A Equipa Sinodal da CEP é constituída por Carmo Rodeia, diretora do Departamento de Comunicação do Santuário de Fátima, Anabela Sousa, diretora do Departamento de Comunicação da Diocese de Setúbal, Isabel Figueiredo, diretora do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja, Paulo Rocha, diretor da Agência Ecclesia, Pedro Gil, diretor do Departamento de Comunicação do Opus Dei, padre Eduardo Duque, diretor Nacional da Pastoral do Ensino Superior, e, como coordenador, o padre Manuel Barbosa, secretário da CEP

O comunicado indica também que a “Assembleia tomou nota das sugestões e propostas dos participantes nas Jornadas Pastorais do Episcopado, expressas em comunicado, as quais serão retomadas na próxima Assembleia Plenária, assim como a síntese sinodal da CEP”.

A Assembleia aprovou o documento “Ministérios Laicais para uma Igreja Ministerial”, sobre os ministérios já instituídos de Leitor, Acólito e Catequista e afirma que a reflexão sobre outros Ministérios “é um processo a continuar”.

PR

12 Perguntas e respostas sobre os arquivo das Dioceses – segundo o direito da Igreja

Comunicado final da 203.ª Assembleia Plenária extraordinária

 

Partilhar:
Share