Companhia de Jesus em Portugal tem quatro «preferências apostólicas» para os próximos anos

Foto Agência Ecclesia/HM

Lisboa, 20 jun 2020 (Ecclesia) – O padre Miguel Almeida tomou hoje posse como provincial da Companhia de Jesus, afirmou que a Igreja existe para o “serviço às pessoas” e apontou quatro prioridades para os jesuítas em Portugal.

“Levar Deus até aos outros através da espiritualidade inaciana e mais concretamente através dos Exercícios Espirituais”, “caminhar junto aos pobres”, “acompanhar a juventude” e colaborar no cuidado da casa comum” são as quatro “preferências apostólicas” da Companhia de Jesus em Portugal.

Ao falar das prioridades para os próximos anos na homilia da Missa da tomada de posse, no Colégio de São João de Brito, em Lisboa, o padre Miguel Almeida lembrou que “caminhar junto aos pobres é difícil”.

“Caminhar sozinho é mau! Geralmente perdemo-nos”, afirmou o padre Miguel Almeida, acrescentando não basta descarregar a consciência ao dar uma moeda a quem pede, mas interessa “ter um amigo pobre”.

Para o novo provincial dos jesuítas em Portugal, a opção pelo acompanhamento da juventude não tem por objetivo “ser uma Igreja jovem”, antes resulta da certeza de que a juventude é uma “altura da vida em que se tomam opções para a vida toda” e, por isso, é uma “obrigação” da Companhia de Jesus fazer com que os jovens sejam “bem acompanhados”.

Sobre o cuidado da casa comum, o padre Miguel Almeida referiu que fixar-se só na reciclagem do que sobra é “uma caricatura”, porque o que “falta mudar é a mentalidade”.

“O que temos de reciclar é a nossa mentalidade, o nosso estilo de vida. Contribuir para isso seria uma grande graça que poderíamos acolher da parte de Deus, amando a criação, e levar aos outros”, afirmou.

 

O novo provincial da Companhia de Jesus em Portugal tomou posse, este sábado, numa “celebração restrita” por causa da pandemia do Covid-19, com apenas Jesuítas da região de Lisboa, alguns familiares do novo provincial e os colaboradores mais próximos.

Na homilia da Missa, o padre Miguel Almeida lembrou que “é no serviço às pessoas – que é para isso que a Igreja serve – que se encontra Jesus” e o “sentido da vida e da verdade”.

“Gostava que não estivéssemos sempre a falar para dentro, preocupados connosco, mas que fôssemos de coração magnânimo, aberto, a toda a gente. É no serviço às pessoas – que é para isso que a Igreja serve – que se encontra Jesus”.

“Todos andamos à procura do sentido da vida e da busca da verdade, nos sabemos o sentido e a verdade tem um nome que se chama Jesus, muita gente não sabe. Para nós é um privilégio”, afirmou.

Hoje a Igreja Católica celebra o Imaculado Coração da Virgem Santa Maria e o padre Miguel Almeida, a partir do evangelho que recorda que Jesus ficou em Jerusalém e Maria e José foram à sua procura, observou que têm de “ser guardiães” e “há sítios no coração” onde têm “de voltar”, por isso, “gostava de ajudar os irmãos” a terem “todos um coração arrumado” para se afligirem “só com o que é afligível e procurarem “sempre a vontade de Deus” que é para isso que “são Jesuítas, cristãos” e é para isso que vivem.

“Na vontade de Deus está a felicidade mais profunda da humanidade”, assinalou

O padre Miguel Almeida sucede ao padre José Frazão Correia, que desempenhou o cargo durante seis anos, e na Eucaristia desta manhã revelou que ao logo deste anos aprendeu que “a autoridade, autoriza a ser livre” e é a “autoridade que convém aos companheiros” para que sirvam “melhor a missão, sem medo, sem caprichos, mas ao mesmo tempo com a ousadia e a coragem que vem do Evangelho”

“A principal missão do provincial é cuidar do corpo. Não cuidar do corpo diante do espelho mas do corpo que é a Companhia e a sua missão: Cuidar de cada membro e cuidar da alma e da missão deste corpo”, acrescentou o padre José Frazão Correia, que agradeceu “a todos os companheiros”, colaboradores, e a “tantos amigos” da província, “gente verdadeiramente empenhada em servir a mesma missão”.

HM/CB/PR

O padre Miguel Almeida nasceu em Lisboa a 6 de novembro de 1967, entrou no Noviciado de Coimbra a 8 setembro de 1995, foi ordenado presbítero em Lisboa a 12 de julho de 2003 e foi nomeado provincial da Província Portuguesa da Companhia de Jesus em janeiro, pelo Padre Arturo Sosa, SJ, Superior Geral dos Jesuítas.

O novo provincial dos Jesuítas antes de entrar na Companhia de Jesus, estudou Marketing e foi seminarista do Patriarcado de Lisboa. É licenciado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa, em Braga, e em Teologia pela Universidade Gregoriana, em Roma. Fez o Mestrado em Teologia Moral no Weston Jesuit School of Theology, Cambridge, Estados Unidos.

 

Partilhar:
Share