D. Rui Valério destaca a «a força da fé na hora da fragilidade» no primeiro texto

Lisboa, 14 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e Forças de Segurança de Portugal revela que esta diocese vai “acompanhar espiritualmente as pessoas e oferecer razões de esperança” com uma mensagem diária como resposta às medidas adotadas para prevenir o coronavírus Covid-19.

“Todos estamos de acordo de que a proliferação do vírus tem de ser detida: A tal propósito estão dedicados os médicos, o SNS, a DGS, o Governo e outras instituições, a par da ação pontual, mas determinante, de cada cidadão”, escreve D. Rui Valério, realçando que esta é, igualmente, “uma hora solene para a fé”.

Na mensagem enviada à Agência ECCLESIA, o bispo das Forças Armadas e Forças de Segurança de Portugal dirige-se aos crentes e a todas as pessoas de boa vontade para afirmar que se propõe a “urgência de vencer o medo” por esta pandemia, por isso, todos são “chamados a observar rigorosamente” todos os conselhos e diretivas das entidades competentes e, em simultâneo, a “deixar iluminar pela fé que fortalece na Confiança em relação a Deus e aos outros”.

“Não tenhais medo”, segundo D. Rui Valério, é o apelo “mais vezes repetido ao longo de toda a história da salvação”, mas destaca que “só a confiança vence o medo”, e evoca a figura de São Pedro que, “caminhando sobre as águas ao encontro de Jesus e começando a afundar-se pede socorro”.

“Mais do que a coragem, a fé, a confiança absoluta no amor de Deus, há de salvar-nos”, acrescenta o Bispo do Ordinariato Castrense, explicando que “é dessa fé salvadora” que fala o Evangelho do terceiro domingo da Quaresma, que os católicos vivem este fim de semana, dias 14 e 15 de março.

“Vivendo a partir de Cristo que é a nascente, se nas horas mais difíceis permanecermos juntos e unidos, seremos uma torrente capaz de ultrapassar todas as barreiras, incluindo a que hoje tanto nos aflige e preocupa”, acrescenta na mensagem também publicada online.

D. Rui Valério informa que vão seguir “escrupulosamente as orientações” do Governo português, das Forças Armadas e da Conferência Episcopal Portugal, por isso, foram suspensas as “celebrações pascais, com Batismos e Crismas”, depois de ter sido determinada a suspensão da celebração comunitária das Missas em Portugal.

Neste contexto, foram ainda canceladas as Vias-Sacras, próprias do atual tempo da Quaresma, e adiadas as peregrinações que esta diocese ia realizar, nomeadamente: A Peregrinação; a Peregrinação à Rússia e a Peregrinação Militar Internacional ao Santuário de Lourdes (França).

A Direção Geral de Saúde informou hoje que em Portugal existem 169 pessoas infetadas, 1704 suspeitos, 126 pessoas estão em análise e 5011 em vigilância; O surto de Covid-19 foi detetado em dezembro de 2019, na China, e a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

CB

 

Covid-19: «Templos» e liturgias no ambiente digital

Partilhar:
Share