Porta-voz do episcopado falou aos jornalistas após a reunião do Conselho Permanente, que decorreu em Fátima

Foto: Agência ECCLESIA/HM

Fátima 10 jan 2023 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa  (CEP) “está preocupada” com a situação social do país e acredita que a “democracia funcione” e o apoio às famílias e às instituições não seja afetado por casos de “instabilidade”.

Questionado no fim da reunião do Conselho Permanente da CEP sobre as demissões no Governo, o padre Manuel Barbosa lembrou que a Igreja não toma posição sobre esses casos e referiu que a instabilidade “passa pelo facto da democracia funcionar”.

“Não tomamos posição sobre isso. Acreditamos que a democracia funcione, e funcione no seu pleno, respeitando a dignidade dos cidadãos, todo os valores em que acreditamos e anunciamos”, afirmou aos jornalistas.

O padre Manuel Barbosa referiu que a CEP “está preocupada com as situações sociais, as dificuldades financeiras e económica por que passam as famílias e as instituições”, valorizou o “apoio extraordinário que foi dado às IPSS” e disse que “tem de continuar” para que possam “servir as populações”.

O porta-voz do episcopado referiu-se também, ao processo legislativo sobre a despenalização da eutanásia e, lembrando o comunicado da CEP emitido por ocasião da aprovação da Assembleia da República do novo diploma, reafirmou que “a Igreja é sempre contra a situação de eutanásia e suicídio assistido, é sempre em defesa da vida e da sua dignidade e é preciso criar condições para que ela aconteça”.

“Mantemos a esperança quando à sua não aprovação, mas esperamos naturalmente que o processo legislativo decorra”, disse o padre Manuel Barbosa.

Na apresentação dos trabalhos do Conselho Permanente, o secretário da CEP disse que foi preparada a reunião extraordinária da Assembleia Plenária no dia 3 de março, sobre o estudo realizado pela Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica, a seu pedido, assim como a reunião habitual após a Páscoa, que vai decorrer entre os dias 17 e 20 de abril, onde vão decorrer eleições para os organismos da Conferência Episcopal para o próximo triénio.

O padre Manuel Barbosa informou também que Portugal vai participar com uma delegação de quatro pessoas (o presidente da CEP, o secretário e dois leigos que fazem parte da equipa sinodal) na reunião da etapa continental do Sínodo dos Bispos, que vai decorrer em Praga, entre os dias 5 e 9 de fevereiro.

Na conferência de imprensa, o porta-voz da CEP referiu-se ainda ao Encontro de Delegados de Bispos Lusófonos, que vai decorrer em Nampula (Moçambique), entre os dias 31 de janeiro e 5 de fevereiro, e contará com a participação do vice-presidente da Conferência Episcopal, D. Virgílio Antunes, em representação do episcopado português.

O secretário da CEP informou também que as dioceses de Portugal e as congregações de Vida Consagrada participaram na campanha lançada antes do Natal para apoiar o Seminário Maior de Kiev, na Ucrânia, tendo já enviado 100 mil euros de ajuda e preparando-se para enviar mais “algumas dezenas de milhares”, e disse que “quem quiser apoiar esta campanha” pode fazê-lo através da Conferência Episcopal.

HM/PR

Partilhar:
Share