Plano pastoral para 2020-2021, com o lema “Todos família. Todos irmãos”, foi apresentado online 

Porto, 27 jun 2020 (Ecclesia) – O bispo do Porto, D. Manuel Linda, na apresentação online do plano pastoral para 2020-2021, com o lema “Todos família. Todos irmãos”, esta sexta-feira, pediu que as paróquias elaborem o seu próprio plano, destacou o “digital na evangelização” e os “jovens como protagonistas”.

“Esta síntese serve para que possam elaborar o seu próprio plano, gostaria que todas as paróquias tivessem o seu pequeno plano, não precisa de ser muito complicado ou formulado mas que seja possível ter um programa que vá orientar a dinâmica pastoral ao longo do ano”, pediu D. Manuel Linda. 

O plano pastoral foi apresentado esta sexta-feira, com transmissão online, com a devida antecedência para que seja “possível de executar e, “não se prevendo o futuro” devido à pandemia haja formas de adaptação.

“Gostaria que o tal plano D (digital), que deve estar presente na nossa pastoral, presente em toda a evangelização, na relação personalizada dos agentes de pastoral, no ânimo, na criação de expetativas e evangelização; mas na liturgia não é bem assim, nada por nada substitui a presença da comunidade orante”, referiu o bispo do Porto.

O plano pastoral que traz “nova linguagem e é síntese dos contributos dos vários setores, movimentos e conselhos da diocese”, D. Manuel Linda apelou à presença nas eucaristias para que a “dimensão da liturgia seja vivida em comunidade presencial”.

O prelado deu ainda destaque aos jovens, com o horizonte alinhado à Jornada Mundial da Juventude de 2023, em Lisboa, apontando que sejam os protagonistas.

“Todo o cristão enquanto tal é agente de evangelização, mas queria que privilegiássemos os jovens, com as suas linguagens e capacidade de expressão, linguagens que não é só verbal, são outras que mais facilmente chegam aos setores identitários, seja de idade e cultura, estamos a dois passos das JMJ e tem de haver esta valorização de jovem evangelizador de outro jovem”, defende.

D. Manuel Linda referiu-se ainda ao recente diretório da catequese para que “estejam despertos” e realçou a “prioridade e necessidade de evangelização”.

Também o bispo auxiliar do Porto, D. Armando Esteves, que acompanha a equipa de coordenação da elaboração do plano pastoral, deixou uma nota sobre a família e a necessária proximidade. 

“O Escutismo diz ‘ask the boy’, pergunta ao jovem, joga com ele, fala, eu colocava ‘ask the family’, estar e perguntar à família, deixar que os leigos da família sejam os protagonistas deste plano”, defendeu.

O bispo auxiliar apontou ainda o digital “não como mera comunicação de conceitos” mas uma verdadeira relação, por natureza interativo”, numa relação de dois sentidos, “dar e receber por amor, e cada vez mais proporcionar mais formação e alargar o horizonte em varias áreas”.

O plano pastoral tem três tópicos de ação para 2020/2021: “prolongar com novas tonalidades, a temática do Batismo; insistir na condição cristã, a partir de Deus Pai, que chama a fazer parte da sua família, por intermédio do Batismo; valorizar a família, como Igreja Doméstica”. 

Outra insistência transversal é a “necessidade de implementar um plano D (Plano Digital) na ação pastoral, que deve deixar de se organizar por setores para se mobilizar por projetos”.

SN

Partilhar:
Share