Iniciativa marcou vivência do Ano da Fé na diocese

Lisboa, 19 nov 2013 (Ecclesia) – O padre Américo Aguiar, vigário geral da Diocese do Porto, afirmou que as Jornadas Vicariais, iniciativa que assinalou o Ano da Fé, representaram um momento importante para que os participantes proclamassem “o Credo escrito nas próprias vidas”.

“Acima de tudo um assumir da fé sem complexos, todos estes testemunhos estes milhares de homens e mulheres que ao longo destas semanas se foram encontrando e reencontrando. As jornadas ajudaram a não ter medo, a não ter vergonha de dizer eu sou cristão”, disse o sacerdote à Agência ECCLESIA.

O vigário geral da Diocese do Porto revelou que muitas pessoas ficaram “cativadas por este nível de funcionamento pastoral”.

“Estou convencido que estes milhares de jovens diocesanos do Porto saíram das jornadas encartados para serem agentes pastorais, agentes de nova envangelização na simplicidade das suas vidas”, desenvolve.

As “Jornadas Vicariais da Fé” dividiam-se em dois dias, sábado e domingo, com momentos de encontro, partilha e oração e os responsáveis querem que nas paróquias e nas comunidades esta iniciativa “não tenha terminado naquele domingo à tarde”.

Aos sábados, os participantes ouviam testemunhos de homens e mulheres, “famosos e anónimos, famílias, médicos, professores, desempregados, jovens, idosos, doentes, saudáveis”, explicou o padre Américo Aguiar, que contabiliza “eventualmente, 200 testemunhos muito importantes”.

“Cada homem e cada mulher que deu  testemunhos naquelas tardes proclamou o Credo escrito com as suas próprias vidas. Às vezes andamos à procura de Cristo em coisas muito mirabolantes, na estratosfera, e tivemos ali testemunhos de carne e osso, de homens e mulheres que foram verdadeiramente o rosto de cristo”, assinala o sacerdote, em declarações que pode ser ouvidas hoje no programa de rádio ECCLESIA, transmitido na Antena 1 às 22h45.

Os sábados à noite eram dedicados a uma vigília de oração, “quase todas com exposição e adoração ao Santíssimo Sacramento” e algumas dinamizadas com orações típicas da Comunidade Ecuménica de Taizé, na França.

“No domingo, dia do Senhor, foram celebrações de multidões todas as vigararias [conjuntos de paróquias] foram capazes de ter uma grande malha humana nessas celebrações e acima de tudo foi uma festa percorrendo estes mais de 2 milhões de habitantes da diocese”, acrescenta o vigário geral.

Para o responsável, as “Jornadas Vicariais da Fé” para além de assinalarem o Ano da Fé também provaram que “o nível de trabalho mais eficaz e mais capaz é de facto o nível vicarial”.

“O balanço que fazemos é muitíssimo positivo porque este mapa de vigararias é novo, foi criado pelo senhor D. Manuel Clemente”, hoje patriarca de Lisboa, acrescenta.

LS/CB/OC

Partilhar:
Share